Menu da Rede

Antônio Carlos Silva

80 anos do gênio do futebol

Pelé: se for o melhor do mundo, melhor não ser brasileiro

Sempre haverá alguém, guiado pelos interesses do imperialismo, para convencer o brasileiro de que ele não deve ter orgulho daquilo que fez

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Hoje, dia 23 de outubro, o “Rei do futebol”, Edson Arantes do Nascimento, ou simplesmente Pelé, completa 80 anos de idade. Pelé não deve ser apenas homenageado como o maior jogador de futebol de todos os tempos. Pelé é mais do que isso, ele é um gênio da arte que ainda vive entre os meros mortais.

O brasileiro inventou uma nova arte ao transformar o futebol vindo da Europa. Deglutiu-o, inventou uma nova maneira de jogar que acabou exportando de volta aos europeus já como um novo tipo de atividade. Esse é o futebol arte.

O futebol de Pelé é o ponto mais alto onde chegou essa arte. Ele é a síntese do que havia sido criado até ali pelo povo brasileiro, negro e pobre, que se tornou o dono do mundo justamente no esporte mais popular do planeta.

Pelé e sua geração têm ainda outra importância. O Brasil, pelo menos desde o final da década de 30, mas certamente a partir da década de 50, já era o melhor futebol do mundo. Mas para que pudesse se impor indiscutivelmente, o brasileiro teve que enfrentar a resistência do imperialismo internacional, que sempre achou e ainda hoje acha inconcebível que um país atrasado, pobre e negro dominasse o esporte. Foi Pelé e sua geração, a partir da conquista na Suécia em 1958, que abriram o caminho para que o Brasil definitivamente se tornasse o melhor futebol do mundo.

Tudo isso é verdade, tudo isso, copiando o que dizia Nelson Rodrigues em suas crônicas esportivas, é o “óbvio ululante” do futebol brasileiro. No entanto, nada é assim tão simples.

O futebol brasileiro e o próprio Pelé enfrentam uma dúvida constante. Não há ocasião em que o “óbvio ululante” não seja contestado de alguma maneira. A imprensa burguesa, sucursal dos interesses imperialistas, ao mesmo tempo em que faz demagogia e bajula, reforça a ideia de que o domínio brasileiro não é do jeito que se diz. O brasileiro parece ser forçado a ter desconfiança de sua Seleção, de seus melhores jogadores e até do maior gênio de todos os tempos, Pelé.

A esquerda pequeno-burguesa, justamente por ser de classe média, repete a propaganda imperialista e serve como correia de transmissão da ideologia imperialista contra o futebol brasileiro.

Uma conclusão deve ser tirada dessa luta pela afirmação do futebol brasileiro: se for o melhor do mundo, melhor que não seja brasileiro. Pelé é brasileiro e negro, não basta ser o gênio da bola, sempre haverá alguém para compara-lo com outro, por mais que possa ser uma desonestidade intelectual qualquer tentativa de comparar Pelé com outro mero mortal.

Essa situação de Pelé e do futebol brasileiro lembra muito a de outra figura histórica do País que tem importância internacional. Alberto de Santos Dummont colocou, também no dia de hoje, em 1906, a primeira máquina a alçar vôo sozinha e percorrer alguns metros acima do solo. Santos Dummont inventou o avião, quis o destino que no mesmo dia em que nasceu Pelé.

Mas assim como Pelé, o imperialismo se esforça por apagar a importância do inventor brasileiro. Como seria possível que os norte-americanos, esses seres mais superiores do mundo, fossem ultrapassados por um brasileiro? E assim, contaram uma história de que foram outros que inventaram o avião.

Se for o melhor do mundo, não seja brasileiro!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.