80 anos do “Rei do futebol”
Os heróis brasileiros do futebol, como Pelé, são o espelho da juventude pobre, negra e trabalhadora no Brasil
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
futebol
Qualquer espaço é lugar para um futebol | Foto: Reprodução

Na edição de hoje sobre os 80 anos de Pelé, vamos falar do que representa o maior jogador de futebol de todos os tempos para a juventude pobre e negra no Brasil e em todo o mundo.

Pelé é o rei do esporte mais popular da Terra. A popularidade desse esporte é avassaladoramente maior do que qualquer outro. É óbvio que algo desse volume não pode ter sido criado artificialmente pela burguesia. As causas da popularidade do futebol são profundas.

Nesse sentido, o futebol tem uma importância não apenas do ponto de vista esportivo, mas do ponto de vista cultural. É uma expressão genuína do povo brasileiro. Ele é o esporte do povo.

E qual a diferença do futebol para outro esporte. Por que o futebol se tornou tão popular no mundo e não qualquer outro esporte?

Em primeiro lugar, o futebol é o mais barato do mundo. É um esporte que não exige grandes recursos e ninguém melhor que o brasileiro sabe disso. Dificilmente se encontra um brasileiro que nunca tenha jogado futebol com uma lata amassada, uma bola de meia e até com uma laranja.

Para o moleque, tudo pode se transformar em uma bola de futebol. Tendo espaço, qualquer espaço que seja, tendo as condições mínimas para se jogar, o brasileiro, desde pequeno, joga futebol. O que vale nesse esporte não é a qualidade da bola, é a habilidade individual, é o jeito de tratar a bola.

A juventude pobre e negra se espelha nos jogadores, aprende seus movimentos, desenvolve suas jogadas, mesmo nas condições mais adversas. O Brasil é um enorme celeiro de jogadores, não pelo grande investimento que se dá ao esporte, mas pela própria prática do futebol, amplamente difundida nos morros, nos becos, nos campinhos.

A quantidade enorme de jovens praticando o esporte se transforma em qualidade. Nesse sentido, o futebol pode ser comparado ao samba, por exemplo. O estilo musical popular genuinamente brasileiro é produto não da erudição musical do povo, mas da prática do samba. O brasileiro nasce ouvindo samba e, na prática, assimila aquele ritmo musical, quase que de maneira natural.

Coisa parecida acontece com o futebol. O brasileiro, quase que ao mesmo tempo em que aprende a andar, começa a chutar uma bola. Aquela habilidade é quase parte da sua natureza, do seu próprio desenvolvimento.

A popularidade do futebol está relacionada também à própria característica desse esporte. Ele é um esporte que exige, além da força, a habilidade que envolve uma elegância que tem grande apelo na população. 

Por todas essas características, a presença da população negra, que é a população mais pobre do mundo, é majoritária no futebol. Ele é o jogo da base da pirâmide social, é o jogo que as crianças jogam nas favelas.

E por isso, os heróis desse esporte são esses garotos pobres e negros. O ídolo de hoje era aquela criança jogando na periferia. E os jovens de agora sabem disso e se espelham nesses heróis do povo.

E é aí que entra a importância do futebol brasileiro. O País que de muito longe se sobressai nesse esporte tão popular é justamente o Brasil, um País negro, pobre, oprimido pelo imperialismo. Para os brasileiros é uma manifestação de orgulho poder se sobressair nesse esporte. É o momento em que um País que sempre foi maltratado e oprimido, consegue dominar o mundo todo, atrai a atenção do povo pobre no mundo todo. O Brasil é o espelho dessas crianças pobres e negras no mundo todo.

Pelé é a expressão maior desse fenômeno. Um brasileiro, de família muito pobre, negro retinto, se tornou o rei do mundo no esporte mais popular do planeta. Com 17 anos, Pelé conquistou o mundo e suas conquistas se estenderam por mais décadas à frente.

Pelé representou a evolução máxima do futebol arte praticado no Brasil. Ele é a expressão mais acabada da qualidade do futebol brasileiro. Ele é o cume aonde todas as crianças pobres brasileiras almejam chegar. 

Pelé e o futebol brasileiro são, portanto, a expressão da juventude negra e trabalhadora. É a sua afirmação, ainda que apenas no aspecto meramente cultural, numa sociedade que esmaga o povo. Ao menos no futebol, essa juventude pode ter orgulho de ser a maioral, de ser a realeza desse esporte. Para o pequeno-burguês, que não tem relações com seu próprio povo, isso pode parecer pouco e é por isso que a classe média está sempre disposta a fazer pouco caso dessa superioridade do Brasil no futebol mundial.

A classe média, deslocada das conquistas de seu próprio povo, acaba se alinhando com a própria burguesia, que despreza o futebol justamente pelo que ele representa para o povo. Não confundir a demagogia e o uso do futebol para as enormes somas lucrativas que ele gera todo ano em todo o mundo com uma real ligação da burguesia com o futebol.

Essa é a importância de Pelé para o povo brasileiro, em particular para a juventude pobre e trabalhadora. Pelé é o rei de um País de escravos, num país massacrado, mas que venceu tudo e se tornou o maior atleta que o mundo já viu e nunca verá melhor.

É por isso que a defesa de Pelé e do futebol brasileiro deve ser uma tarefa da esquerda e de qualquer um que entenda a importância de defender a cultura do povo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas