Siga o DCO nas redes sociais

Pela segunda vez, golpistas dos Correios suspendem o direito de férias dos trabalhadores
Pela segunda vez, golpistas dos Correios suspendem o direito de férias dos trabalhadores

Nesta quinta-feira (01-03), a direção golpista dos Correios anunciou aos trabalhadores, em seu boletim interno “Primeira Hora”, que novamente o governo golpista de Michel Temer, através de Gilberto Kassab e Guilherme Campos do PSD (Partido Social Democrata), que a concessão de férias na empresa está suspensa.

Conforme texto do boletim dos golpistas, a programação de férias dos trabalhadores dos Correios será suspensa a partir de 2 de abril e não tem data para voltar ao normal.

Segundo os golpistas cínicos, mentirosos e que estão a serviço da entrega do patrimônio nacional aos grandes capitalistas internacionais, a medida visa combater a suspeita crise financeira que atravessa a empresa.

Essa medida acontece nas vésperas de que a direção golpista da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) com a ajuda dos ministros biônicos e também golpistas do TST (Tribunal Superior do Trabalho) se preparam para oficializar o fim do atual plano de saúde dos trabalhadores dos Correios, trocando-0 por um plano praticamente privado, onde o trabalhador terá que pagar mensalidades que serão reajustados anualmente, com a programação de exclusão dos pais e mães dos funcionários do benefício.

Mesmo que a mensalidade inicie em um patamar menor, que será duramente sustentado pelo trabalhador, futuramente a mensalidade será insuportável para o rebaixado salário da categoria (média de R$ 1.500,00 mensais).

O reajuste anual será controlado pela ANS (Agência Nacional de Saúde), que é um órgão dominado pelos grandes planos de saúde do país, facilitando a exploração da saúde em benefício dos interesses financeiros desses capitalistas.

Nesse sentido, a suspensão das férias nos Correios nesse momento tem que ser vista pelos trabalhadores como parte da luta contra os golpistas e sua política de privatização da ECT.

Os golpistas querem sufocar os trabalhadores com a suspensão das férias, para que eles barganhem a volta de um direito já conquistado há muito tempo pelos trabalhadores brasileiros que é o direito à férias, pela destruição do plano de saúde da categoria.

Por isso a luta contra a privatização dos Correios e a manutenção de direitos passa necessariamente pela luta contra o golpe de Estado no Brasil que se aprofunda para um golpe militar.   Isoladamente, os trabalhadores dos Correios serão derrotados, como estão sendo os petroleiros, bancários, eletricitários, aeroportuários e outras categorias de servidores públicos.