PE: ato contra corte de benefícios para crianças com microcefalia

Protesto-microcefalia-PE b

Na última quinta (18), em resposta aos cortes do governo golpista, a União de Mães de Anjos (UMA), que reúne mães de crianças com microcefalia, organizou uma manifestação em frente à sede do INSS no Recife, com cerca de 85 famílias que vêm sofrendo a suspensão do benefício.

O INSS, que não soube explicar o motivo dos cortes, pediu prazo de até 85 dias para investigar o caso. Porém as mães denunciaram que é impossível manter as crianças sem o valor do benefício por esse período e que seria urgente uma reunião com o Ministério da Cidadania para entender o que aconteceu e reaver os valores suspensos.

O Benefício de Prestação Continuada (BPC) é concedido pelo INSS para pessoas com deficiência física ou mental de qualquer idade e idosos acima de 65, e equivale a um salário mínimo (R$ 998,00)

Pernambuco foi um dos estados que mais sofreu com o surto de microcefalia em 2015, que em todo o país registrou cerca de três mil crianças que nasceram com a síndrome congênita causada pelo vírus da zika. De acordo com as regras do BPC, as crianças com microcefalia têm direito ao benefício e muitas já o recebem. Porém, no Recife (PE), dezenas de famílias estão com o benefício cortado desde junho sem nenhum motivo aparente.

Essa é a política da direita golpista para a população: o Estado para os capitalistas, os direitos para os patrões.

 

Germana Soares, presidente da UMA, explica as razões do protesto: “Nós viemos reivindicar nosso direito, porque mães estão em situação de desespero sem ter como custear aluguel, alimentação, remédios. Viemos para que a sociedade saiba o que está ocorrendo e o poder público tome providência”.