Na folia e na luta contra Bozo
Em todo o pais militancia do PCO e dos comites de luta contra o golpe saem as ruas nas festas de Carnaval contra Bolsonaro
20200224_163032
Academicos do Vigario e sua critica ao presidente fascista |

Em todo o país seguindo a orientação da direção partidária que apoia a luta do povo nas festas do Carnaval, a militância do PCO assim como os comitês de luta contra o golpe foram as ruas e à folia em todo o pais apoiar e fazer coro com a maioria da população que quer o “Fora Bolsonaro!”.

Em todo país foram centenas as manifestações até o momento contra o governo golpista de Bolsonaro.
No Rio de Janeiro e em São Paulo foram várias as escolas que denunciaram os abusos de todo governo fascista.

Em São Paulo, com o enredo, ‘Pai! Perdoai, eles não sabem o que fazem!’, a escola de samba Mancha Verde, escola ligada a torcida do Palmeiras, fez críticas aos golpistas do atual governo. Foram mostradas mulheres fantasiadas de domésticas, em repúdio ao ministro Paulo Guedes (Economia). Já a farsante Ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves também foi alvo de protesto,contra os ataques da fascista à educacao e a questões de gênero.

No Rio, a escola Acadêmicos do Vigário que entrou na Sapucaí com o enredo “O conto do vigário”, apresentou um boneco do palhaço Bozo com uma faixa presidencial e fazendo o gesto característico de Jair Bolsonaro da arminha. Depois da passagem do Bozo, uma das alas, a do “Bloco Sujo” lembrou a resistência dos blocos de rua que se manifestam contra o descaso do poder público e tambem estao enfrentando a repressao da PM. Os participantes estavam vestidos de marinheiro e melindrosa, carregavam estandartes com as palavras “Educação”, “Cultura”, “Saúde” e “Democracia”.

Além dos gritos de “Ei, Bolsonaro vai tomar….”, que assolam blocos carnavalescos Brasil afora, e dos sambas-enredo que protestam diante do governo fascista, o carnaval da Europa também dá destaque à figura do golpista. Em reportagem da Deutsche Welle Brasil, emissora internacional da Alemanha, mostram a figura caricaturada de Bolsonaro em um carro alegórico com um boneco do fascista brasileiro, segurando a bandeira do Brasil atada a um palito de fósforo tamanho família e exibindo um largo sorriso, diante de árvores carbonizadas e sambistas seminuas e chamuscadas”.

Imagem: Deutsch Welle

Outro exemplo, foi a fala da famosa cantora brasileira homenageada por várias escolas samba, Elza Soares que em Recife, no último sábado, após ouvir o coro de “Ei Bolsonaro vai tomar no ..!”, disse que o povo tem que ir além das entoacões repugnantes ao governo, colocou acertadamente que o único caminho real para derrotar Bolsonaro é o caminho das grandes manifestações nas ruas.
Seguindo a vontade popular, expressa em todas estas manifestações e que com total acerto o Partido da Causa Operária foi o primeiro a levantar esta acertada palavra de ordem no dia 1 de Janeiro de 2019, denunciando o governo colocado no poder por meio de brutal fraude eleitoral e politica montada no pais,que derrubou Dilma e prendeu Lula, a militância partidária está nas ruas estimulando, apoiando e fazendo coro com o povo, enquanto importantes segmentos da esquerda insistem em capitular ao governo fascista e esperar as eleições de 2022, como forma de tirar o crápula, terrível erro que pode custar o futuro da classe operária brasileira.
Nas ruas brasileiras, diversos blocos tiveram suas apresentações voltadas a críticas ao atual governo. Nos carnavais de rua, como ocorreu em Santo Andre, onde um dos comites de luta estava presentes, ver video abaixo,

o povo entoou por varios minutos o Fora Bolsonaro.
Assim como em Santo Andre, o PCO, organizou bailes de Carnaval vermelho em várias de suas sedes pelo país como em Sao Paulo, onde o carnaval vermelho fervilhou com mais de 100 companheiros na folia. Além de centenas de outros militantes que saíram em blocos e escolas de samba, como na noite desta segunda feira, onde pela terceira vez, militantes revolucionários paulistas sairam pela escola de Samba Em cima da hora, que neste carnaval homenageia o bairro popular e operário de Parelheiros.
Assim tem que ser a luta, aproveitar todos os momentos para fazer evoluir a consciência de classe dos trabalhadores brasileiros. E após o Carnaval, seguir a única politica correta,defendida desde o início do golpe pelo PCO e como Elza Soares reforçou, derrotar o governo Fascista nas ruas!

Relacionadas