PCO - PT
|

Uma delegação da direção do Partido da Causa Operária (PCO), liderada pelo companheiro Antônio Carlos Silva, da Executiva Nacional, reuniu-se nessa quinta-feira (dia 11) com a presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), deputada Gleisi Hoffmann, em seu gabinete na Câmara dos Deputados.

Na reunião, os dirigentes partidários discutiram um balanço da importante derrota sofrida pelos trabalhadores na votação da “reforma” da Previdência, na Câmara, ocorrida na véspera, em que o texto substitutivo do relator Samuel Moreira (PSDB-SP), foi aprovado por 379 votos a favor e 131 contra.

O PCO assinalou na reunião seu balanço de que a derrota marca o esgotamento e o fracasso da politica de setores da esquerda que buscam uma negociação e o entendimento com os setores golpistas que votaram a favor da “reforma”, como o PSDB, PSB, PDT e o Solidariedade, presidido por “Paulinho da Força”, e até mesmo com setores que comandaram a reforma como o DEM, de Rodrigo Maia, e todo o “centrão”.

Foi realizada uma discussão sobre a necessidade de convocar uma ampla mobilização em Brasília, em agosto, ocupando Brasília pela derrota da “reforma” se opondo à politica dos setores da esquerda que vão buscar defender a aceitação da reforma ou mesmo propor que as articulações se deem somente por dentro do Parlamento e na pressão individual sobre os parlamentares direitistas, reforçados diante da vitória dos golpistas nesta semana.

Na reunião, o PCO também reforçou a necessidade de levantar a reivindicação de Fora Bolsonaro e todos os golpistas, como um eixo central da luta na atual etapa, questão em torno da qual não há acordo por parte da direção do PT, conforme explicou a presidenta Gleisi, relacionando o problema a preocupação em torno da possível substituição de Bolsonaro.

No encontro o PCO também apresentou sua proposta da realização de um ato pela anulação da condenação de Lula e demais presos políticos e pela liberdade de Lula, que o Partido propôs que seja realizado em Curitiba, tendo como data indicativa o dia 16 de agosto. A presidenta do PT propôs debater o tema no Comitê Nacional Lula Livre e informou também que o Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores se reune nos próximos dias vai fazer um balanço da situação e apontar suas diretrizes.

Por último, a reunião discutiu a necessidade de uma campanha em torno da luta contra o cerco imperialista à Cuba e à Venezuela, em todo o País e na América Latina, tema que ficou de ser tratado em reunião de representantes das Secretarias de Relações Internacionais do PT e do PCO, com o objetivo de criar uma mobilização em todo o País, par ao que o PCO informou na reunião que colocará a questão como um dos temas centrais da II Conferência Nacional Aberta de Luta contra o Golpe, que deverá ocorrer no segundo semestre, para a qual a presidenta do PT foi desde já convidada.

 

Relacionadas