Fora Bolsonaro nas ruas
O Partido da Causa Operária continua sua campanha de luta pelo Fora Bolsonaro e realiza mais um ato de rua na Avenida Paulista.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
atoforabolsonaro
É preciso acabar com a paralisia da esquerda e ir às ruas! | Foto: PCO

No último domingo (25), o Partido da Causa Operária realizou mais um ato de rua pelo Fora Bolsonaro e pela candidatura do ex-presidente Lula em 2022. Desta vez, a manifestação foi na Avenida Paulista, contando com a participação de militantes de diversas regiões de São Paulo e até mesmo de Brasília que distribuíram os materiais de campanha do partido, incluindo adesivos e panfletos. Confira as fotos abaixo:

O ato contou com a participação da Bateria Zumbi dos Palmares, animando a manifestação e puxando palavras de ordem como “Fora Bolsonaro”, “Nossa bandeira sempre será vermelha” e demais frases características da política do partido. Além disso, a loja do PCO também estava presente, expondo camisetas, canecas, bottons, e diversos produtos estampados com o Fora Bolsonaro.

Durante a realização do ato, o companheiro Augusto Rolin, militante da corrente Educadores em Luta e candidato à vereador em São Paulo, fez uma intervenção, ressaltando a problemática da volta às aulas que, neste momento, se aproxima cada vez mais de nossa realidade com o aprofundamento da crise econômica. Ademais, a companheira Simone Cristina, candidata à prefeitura de Santo André e militante do coletivo de mulheres do PCO, Rosa Luxemburgo, denunciou a questão do aborto no Brasil e, além disso, a necessidade da formação de comitês de auto-defesa por parte das mulheres brasileiras, única forma real de mudar a situação da mulher dentro da sociedade capitalista.

Também estava presente no ato o companheiro Antônio Carlos, indicado pelo PCO à concorrer pela prefeitura de São Paulo e levar a política do partido às eleições municipais da principal cidade do País. Em sua intervenção, Toninho, como é conhecido, denunciou a política genocida que tem sido levada por Bolsonaro, Dória e Covas. Denunciou firmemente a farsa das eleições e colocou que a única solução é a mobilização popular, convocando todos os trabalhadores a se juntarem ao PCO na luta pelo Fora Bolsonaro.

Desde o começo da pandemia, a esquerda pequeno-burguesa tem levado à frente a infame política do Fique em Casa. Enquanto a população precisava trabalhar e, consequentemente, contrair o coronavírus, sindicatos, organizações e partidos de esquerda fechavam as suas portas, deixando a classe operária à mercê da boa vontade do governo genocida de Bolsonaro. Todavia, seguindo sua tradição de luta, o PCO se mostrou como alternativa à essa política pelega, organizando e convocando atos presenciais semanalmente para, de forma efetiva, impulsionar sua campanha pelo Fora Bolsonaro.

O que precisa ficar claro é que essa política da esquerda não passa da mais pura demagogia. Afinal de contas, agora, com o início do período eleitoral, absolutamente todos os setores que antes defendiam o “Fique em Casa” com unhas e dentes foram às ruas, mas com um propósito completamente diferente do que o PCO propõe. Fica claro que a preocupação destes elementos é unicamente com as eleições e com o desenvolvimento da Frente Ampla para angariar o maior número de fotos possível. Nesse sentido, não só escondem a palavra de ordem do Fora Bolsonaro como a rejeitam, visando garantir apoio dos setores golpistas da política brasileira.

Finalmente, a única saída para a atual crise é por meio da mobilização popular. Somente o povo nas ruas pode barrar o aprofundamento do processo golpista no país. A ilusão de que as eleições resolvem qualquer um destes problemas não é só estúpida como também nociva à organização da classe operária. Afinal de contas, é simplesmente impossível, por definição, querer mudar o capitalismo por dentro no momento em que o parlamento é completamente dominado pela burguesia. A esquerda pequeno-burguesa precisa acabar com seu cretinismo eleitoral e rejeitar a política da burguesia, não se colocar à reboque desta. Somente com a unificação da esquerda em torno da candidatura de Lula é que conseguiremos realizar mobilizações fortes o suficiente para acabar com o golpe e, finalmente, derrotar os golpistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas