Debate reuniu esquerda
Debate que ocorreu entre os presidentes do PT, PCO, PCdoB e PSOL, mostrou as orientações dos principais partidos de esquerda do país
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Captura de Tela 2020-08-27 às 15.44.14
Debate transmitido por pool de emissoras alternativas | Foto: DCO

O debate que realizado ontem entre os presidentes do PT, PCO, PCdoB e PSOL, com transmissão da TV 247, DCM, Fórum e COTV expôs as orientações dos principais partidos de esquerda do país. O presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, colocou a análise da situação política no Brasil e no mundo, e a qual seria a saída para a mudança da correlação de forças e a derrota do governo fascista de Jair Bolsonaro e de todos os golpistas.

Foi apresentado que o problema atual não tem relação com as eleições, e sim com a marcha da situação política nacional e internacional e no avanço da direita em todos os lugares do mundo.

Um importante entendimento é ter como eixo da situação política derrotar a direita, ou seja, essencialmente é modificar uma correlação de forças que atualmente está extremamente desfavorável para os trabalhadores e para a esquerda.

Rui pontuou que as colocações da esquerda e dos ativistas mostram uma preocupação com as eleições e como podem contribuir para avançar a luta contra Jair Bolsonaro. A esquerda acredita que para mudar a correlação de forças seria ganhar as eleições de 2022 e as eleições de 2020 contribuiriam para essa mudança em 2022.

Mas é preciso analisar a conjuntura política, pois não houve uma mobilização a altura para derrotar o governo ou impedir seus ataques contra os trabalhadores. A situação atual é muito peculiar, não somente em relação ao Brasil, mas em todo o mundo.

A vitória eleitoral é um retrato da correlação de forças e não a sua alteração. Ou seja, não é um elemento que opera a mudança na relação de forças. Esse fato pode ser demonstrado porque as eleições para a esquerda estão completamente desfavoráveis e houve um retrocesso muito grande em candidatos eleitos nas eleições municipais desde o golpe em 2016. As eleições municipais funcionam como currais eleitorais controlados pela direita e o esmagamento da esquerda no aprofundamento do golpe se faz por esse controle, o que diferencia um pouco nas eleições presidenciais onde a burguesia pode, de certa medida, perder o controle. O Partido dos Trabalhadores ganhou quatro eleições nacionais, mas nunca chegaram nem perto de ter as maiorias nas prefeituras, nem no congresso e nem no senado.

Nesse cenário de golpe e avanço da direita, as eleições de 2022 não vão reverter o quadro, não tem como. O problema é como os golpistas estão manobrando as eleições, transformando as eleições brasileiras, que sempre foram profundamente antidemocráticas, em um jogo de cartaz marcadas. É uma eleição relâmpago, sem tempo, enquanto os direitistas aparecem nos grandes meios de comunicação, tempo de televisão reduzido entre outras coisas. As eleições são uma arapuca para a esquerda.

A unidade não pode ser abstrata e sim ser avaliada do ponto de vista do desenvolvimento da situação política e para onde estão caminhando as forças políticas. A esquerda deve lançar seus candidatos e apresentar seus programas para os trabalhadores, mas a mudança na relação de forças virá de uma unidade em torno da luta e de candidatos populares e com história entre os trabalhadores. Nesse caso, a proposta do PCO, é a unidade da esquerda luta pela candidatura de Lula, da luta  pela volta de seus direitos políticos e de sua eleição.

Essa luta vai evidencia uma bandeira de unidade que pode mudar a correlação de forças, visto que a direita não quer Lula de nenhuma maneira e vai evidenciar o caráter golpista das eleições e mudar o quadro político para ser favorável a esquerda.

Para ver ou rever ou o debate, acesse aqui.

https://www.youtube.com/watch?v=wP2gUyHlXsU

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas