Lula candidato
Comitês de luta se reorganizam e saem as ruas para pedir fora Bolsonaro e Lula candidato

Por: Redação do Diário Causa Operária

Domingo é dia de mutirão dos comitês de luta. Em todo o Brasil os comitês de luta estão se reorganizando em torno da campanha do momento, por Lula presidente. De norte a sul do país, militantes dos Comitês de Luta, do PCO, PT, independentes e de outras organizações, se reúnem e saem às ruas no domingo, para irem a feiras, terminais de ônibus e locais de grande circulação para panfletar e recolher assinaturas pela anulação dos processos contra Lula. 

Os comitês não são organizações novas, desde 2016 milhares de militantes se mobilizam para lutar contra o golpe e todos os seus ataques à classe trabalhadora brasileira. Os comitês de luta surgiram durante a luta dos trabalhadores contra o impeachment fraudulento da ex-presidente Dilma Rousseff, e são um instrumento de luta e de organização suprapartidária para lutar contra todos os ataques que a direita golpista e os fascistas estão realizando contra o povo.

Militantes de vários partidos, ou de nenhum, participam destes Comitês para lutar contra o governo Bolsonaro, contra a reforma da previdência, contra as privatizações, pela vacinação em massa contra o COVID-19,  e outros ataques desferidos contra todo o povo brasileiros. Mas, acima de tudo, neste momento, os comitês estão organizados para defender a anulação dos processos contra o ex-presidente e dirigente da esquerda Lula, preso injustamente pelos golpistas em 2018, para facilitar a ofensiva de destruição dos direitos democráticos da população brasileira, e impulsionar sua candidatura presidencial, uma arma importante na mobilização dos trabalhadores contra a direita.

A atividade dos comitês é voltada para a ação!

Uma questão importante na construção dos comitês, reunindo ativistas dispostos a irem às ruas para realizar atividades em conjunto com os comitês de luta, é compreender algumas questões políticas fundamentais sobre o trabalho que os comitês de luta se pretendem realizar.

Os comitês devem ser organismos voltados para a ação. Os comitês formados pela esquerda pequeno burguesa ou pela frente popular costumam resumir se a uma discussão interminável, uma série de discursos vazios e repetitivos e a marcar alguns atos esporádicos. Esse tipo de funcionamento tende a afastar os que se aproximam de tais comitês. A discussão política dentro do comitê deve existir, mas deve ser breve, com o intuito de orientar a ação. O comitê deve dedicar a maior parte do tempo para organizar ações práticas, tais como colagem de cartazes, panfletagem, mobilização para participação em atos etc.

Os comitês devem ser amplos, procurando agrupar toda e qualquer pessoa interessada na luta contra o golpe, além de ir de fato em busca de tais pessoas. É preciso ter em mente que o que une o comitê é a luta contra o golpe e pelo fora Bolsonaro e todos os golpistas, e por Lula candidato. 

Nas ruas

Neste domingo (14), os comitês realizaram mutirões em mais de 30 cidades pelo Pais afora. A cada domingo esse número vem sendo ampliado. E com a presença de Lula no cenário político, o movimento ganha novo impulso.

Lula teve seus direitos políticos restituídos, não há mais dúvidas, ele é o candidato da esquerda, a única coisa que tem para se fazer agora é lutar pela sua candidatura nas ruas, a fim de garanti-la. 

Nesse sentido, é fundamental que todas as pessoas participem efetivamente da mobilização efetiva contra o golpe, em mutirões nas ruas, que é a única forma real.

Organizar em todas as cidades, categorias e universidades, os comitês de luta. É com esses comitês que nós vamos impulsionar a luta.

Veja fotos de algumas atividades hoje no Brasil

Mutirão no Plano Piloto – DF
Mutirão no Planaltina – DF
Mutirão na Zona Leste – SP
Mutirão em Salvador – BA

Mutirão na praça Roosevelt – SP
Send this to a friend