Salvador
O ato tem caráter nitidamente político, porque é realizado pelos que estão entre os mais atacados pelo governo golpista: os negros, os pobres, os operários e as minorias religiosas
1579186396441
Foi um ato popular, político, de comemoração e agitação. Foto: DCO |
1579186396441
Foi um ato popular, político, de comemoração e agitação. Foto: DCO |

Da redação – Na manhã desta quinta-feira (16), militantes do Partido da Causa Operária (PCO) e do Comitê de Luta Contra o Golpe de Salvador lideraram o bloco Fora Bolsonaro durante o ato popular tradicional da lavagem das escadarias e do átrio da Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, na capital baiana.

Percorrendo as ruas de Salvador desde a Igreja da Conceição da Barra até o destino final, a Igreja do Bonfim, os manifestantes aproveitaram a festa popular para expressar o sentimento da maioria da população, de rechaço total ao governo ilegítimo do presidente fascista Jair Bolsonaro.

Turistas, ativistas e militantes, mas principalmente o povo pobre, trabalhador e negro (maioria dos baianos) participaram do ato popular, com importante presença dos fiéis do candomblé e do catolicismo. Esses setores, principalmente os que são adeptos da mistura das tradições e culturas religiosas de matriz africana, são amplamente perseguidos pela extrema-direita fascista que apoia Bolsonaro, e cuja perseguição é incentivada pelo governo bolsonarista.

Por isso mesmo o ato da Lavagem deste ano tem um caráter nitidamente político, porque é realizado por aqueles que estão entre os mais atacados pelo governo golpista: os negros, os pobres, os trabalhadores, as minorias religiosas de matriz africana.

Todas as camadas populares, especialmente aquelas mais perseguidas pela direita, devem se unir e erguer em um só coro a palavra de ordem que toma conta cada vez mais das ruas de todo o Brasil: Fora Bolsonaro!

Relacionadas
Send this to a friend