“Amigos da onça”
Partido declarou apoio a candidato golpista do PSB e fará oposição a Marília Arraes
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
joao campos
Convenção eleitoral de João Campos, PSB | Foto: Rodolfo Loepert

Na última terça-feira (15), o Partido Socialista Brasileiro (PSB) lançou o atual deputado federal João Campos como candidato à prefeitura do Recife para as eleições municipais. João é filho do ex-governador Eduardo Campos, principal quadro do partido e seu presidente até sua morte, em 2014. A indicação de seu nome não causou qualquer surpresa: há pelo menos dois anos, a imprensa burguesa vem preparando a candidatura de João Campos.

O que merece destaque na convenção, no entanto, é que ficou claro que a candidatura de João Campos é a candidatura principal do bloco golpista para a prefeitura do Recife em 2016. Mesmo não tendo o apoio direto do PSDB e do DEM, o candidato do PSB é o único que conseguiria concorrer com a candidatura de Marília Arraes, do PT. Não porque seja um candidato popular, mas sim porque o PSB está no governo de Pernambuco há 14 anos, controla, em grande parte, a Assembleia Legislativa e a Câmara dos Vereadores do Recife e tem um apoio de importantes oligarquias.

O que demonstra claramente que a candidatura do PSB é a candidatura do bloco golpista é a frente que está apoiando João Campos. São 12 partidos que compõem a coligação, praticamente todos eles burgueses e direitistas. Algumas figuras odiadas pelo povo estiveram presentes na convenção: Cristovam Buarque (Cidadania), conhecido como “vovô golpista”, Jarbas Vasconcelos (MDB), o “FHC” de Pernambuco, que comandou o estado entre 1999 e 2006 e que votou a favor do golpe em 2016, Eriberto Medeiros (PP), presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, entre tantos outros.

De todos os partidos que compõem a frente, apenas um não votou a favor do golpe: o PCdoB. E justamente por isso, sua participação na “frente popular” de apoio a João Campos deve ser questionada: lutar contra o golpe, como efetivamente parte de sua base fez, nada tem a ver com apoiar os setores vigaristas e falidos da burguesia que compõem a “frente popular” encabeçada pelo PSB. Essa é apenas uma demonstração de que o PCdoB está cada vez mais disposto a intensificar sua política de colaboração com a burguesia golpista, organizada  na frente ampla.

O único objetivo dessa política é tentar conformar uma minoria do PCdoB, mais direitista e desvinculada do movimento popular, no regime político e, ao mesmo tempo, ajudar a burguesia a derrotar os setores mais combativos da esquerda e da classe operária.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas