PCdoB faz aliança com partidos golpistas para montar bancada no congresso e isolar o PT

renanto rabello

O PCdoB (Partido Comunista do Brasil), que se apresentava como aliado fiel do PT (Partido dos Trabalhadores), está participando de mais uma articulação golpista contra o PT.

Trata-se da frente de esquerda parlamentar, coordenada pelo abutre Ciro Gomes do PDT (Partido Democrático Trabalhista) que visa criar um bloco oposicionista ao governo golpista de Jair Bolsonaro, eleito na base da fraude eleitoral, sem a principal e maior bancada parlamentar de esquerda, a bancada do PT.

A frente parlamentar de “esquerda” que está sendo gerida pelos partidos do PDT, PSB e PCdoB, pode ter a adesão de vários grupos golpistas, a exemplo da Rede, Prós e até de parlamentares do PSDB.

Os lideres desse frente golpista já vetaram a participação do PT, com a argumentação estapafúrdia de que o PT quer o protagonismo da oposição, como se o Ciro Gomes não estivesse disputando ser o protagonista de uma oposição parlamentar ao governo do golpista Jair Bolsonaro.

Essa frente em nada é de esquerda, pois é um agrupamento de oportunistas políticos e apoiadores do golpe, tanto o PSB, como o PDT vem apoiado os golpistas. Na própria eleição de 2018, vários candidatos do PDT apoiaram a eleição fraudada de Jair Bolsonaro.

O PCdoB, que teria um caráter mais progressista dentro dessa frente, que atua no campo da esquerda, tem se mostrado, após o golpe de Estado (impeachment de Dilma Rousseff), uma organização oportunista e direitista, a exemplo do seu apoio ao golpista Rodrigo Maia do DEM (Democratas) para eleição a presidência do Congresso Nacional.

Também é importante citar, que no momento em que o PT e a esquerda mais precisava de unidade, quando da perseguição a Lula, para que ele não fosse candidato a presidência da República, o PCdoB lançou candidatura própria de Manuela D´Avila a fim de isolar o PT. Só mais tarde, quando a crise dentro do partido se intensificou devido essa política eleitoral oportunista, o PCdoB aceitou fazer uma aliança eleitoral com o PT, mas sob uma enormidade de imposições, como ser vice na chapa do Haddad.

O PCdoB trabalhou o tempo todo nas eleições de 2018 para que o PT ficasse a reboque do PDT e de Ciro Gomes, que só estava nas eleições para tirar voto do PT. Agora, novamente, o PCdoB está mostrando que sua aliança mais fiel nesse parlamento não é com o PT, mas com os golpistas e não com os que lutam contra o golpe.

É necessário rejeitar a política traidora de “virar a página do golpe”, de fazer frente de esquerda ou anti-fascita com os golpistas que apoiam ou simplesmente fazem figuração como oposicionista do governo direitista de jair Bolsonaro.

Por uma frente de luta contra o golpe e pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas, e pela liberdade de Lula, através da aliança das organizações de luta da classe trabalhadora, dos trabalhadores do campo, da juventude e de setores oprimidos da sociedade.