Reforma Administrativa
Na proposta do governo de fascistas, o servidor que não “puxar o saco” de seus superiores, poderá ser exonerado
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
17/12/2019) Palavras do Ministro de Estado da Economia, Paulo Guedes.rFoto: Marcos Corrêa/PR
Paulo Guedes ameaça mais uma vez os servidores. Foto: Marcos Corrêa/PR |

Da redação – O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a ameaçar os servidores públicos ao se referir à reforma administrativa que o governo ilegítimo de Jair Bolsonaro vem impondo contra os trabalhadores.

Em uma publicação nas redes sociais do Ministério da Economia, a “tchutchuca dos banqueiros” disse que vai acabar com a estabilidade no emprego dos funcionários públicos que não lambam as botas dos seus chefes.

“Nós estamos entrando agora na Reforma Administrativa para valorizar o bom servidor. Não atinge o direito de quem está lá. Para ganhar estabilidade tem que provar que é um bom servidor, ter espírito de equipe, ser aprovado pelo chefe”, afirmou o “Chicago Boy”, discípulo da Escola da Chicago que foi responsável pela tese do neoliberalismo.

Os novos servidores, assim, caso o projeto que regulamenta a exoneração de servidores estáveis por mau desempenho seja aprovado no Congresso, teriam seu direito histórico destruído.

Esse projeto é baseado na famigerada tese neoliberal da meritocracia, que não passa de um engodo para justificar a extrema desigualdade social e salarial. Na proposta do governo de fascistas, o servidor que não “puxar o saco” de seus superiores, poderá ser exonerado.

É uma desculpa para alimentar ainda mais a perseguição política contra os servidores ativos na luta sindical e social, uma vez que todas as instituições do Estado estão sendo cada vez mais aparelhadas por quadros bolsonaristas, que, assim, poderiam desligar os servidores “de esquerda” sem precisar reconhecer seus motivos ideológicos.

Além disso, é mais uma etapa no sucateamento e destruição dos serviços públicos, em um momento em que o golpe enxuga cada vez mais a máquina pública, que perde aceleradamente funcionários indispensáveis para seu correto funcionamento. Assim, no final das contas, os golpistas terão um pretexto para privatizar completamente os serviços, tachados de “ineficientes”, porque sucateados e destruídos por eles próprios.

Os servidores devem organizar imediatamente uma mobilização contra tais ataques, no Brasil inteiro, e levantar a palavra de ordem de “fora Bolsonaro”, pois a maneira mais eficiente de reverter tal cenário é derrubando o governo golpista por meio do movimento revolucionário dos trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas