Siga o DCO nas redes sociais

Ditadura persegue oposição
Partido de Correa denuncia perseguição política ampla no Equador
Partido Revolução Cidadã inicia campanha para denunciar perseguição política no Equador, promovida pela ditadura que tomou conta do país.
Rueda de Prensa del Presidente Rafael Correa
Ditadura persegue oposição
Partido de Correa denuncia perseguição política ampla no Equador
Partido Revolução Cidadã inicia campanha para denunciar perseguição política no Equador, promovida pela ditadura que tomou conta do país.
Fora Moreno!
Rueda de Prensa del Presidente Rafael Correa
Fora Moreno!

O regime golpista no Equador, consumado com a traição de Lenin Moreno e a perseguição política implacável contra Rafael Correa, ex-presidente nacionalista do país, vem tomando uma forma ainda mais ditatorial no último período.

A perseguição política é cargo chefe do governo direitista. Correa foi obrigado a se exilar, tendo prisão decretada pelos golpistas e uma implacável propaganda da imprensa imperialista contra sua pessoa, que varreu o mundo buscando trata-lo como um criminoso, mentor de um crime que nunca houveram provas.

Já durante os fortes protestos que houveram no país no último semestre, prisões ilegais seguidas de uma forte repressão policial tomaram conta da situação, levando com vários líderes da chamada “Revolução Cidadã”, partido de Correa, fossem presos acusados de “rebelião”.

Tratados como “traidores” pela burguesia fascista equatoriana, o partido de Correa busca denunciar esta perseguição em todas as instâncias nacionais e internacionais. Tal anuncio foi feito por Gabriela Rivadeneira, uma das figuras políticas que foram obrigadas a se exilar no México para não serem presas pela ditadura.

No caso de Rivadeneira a situação tornou-se ainda pior, pois seu pai está sendo duramente perseguido pelos golpistas no Equador, chegando a ser preso e agora obrigado a ir ao menos três vezes por semana prestar depoimentos. Sendo ele um senhor de já 62 anos com problemas sérios de saúde.

Além disso sua casa fora completamente destruída pelos polícias, tudo isso em frente a seus filhos menores. As acusações, como denúncia Rivadeneira, são completamente sem quaisquer provas, uma completa perseguição política.

Os fatos que ocorrem no Equador não são nenhuma surpresa, muito pelo contrário. Com os golpes de Estado dados em toda América Latina pelo imperialismo norte-americano, os países antes compostos por governos nacionalistas inverteram completamente seus papeis, tornando-se verdadeiras ditaduras coloniais, entregando o país para os grandes capitalistas estrangeiros e atacando profundamente a população já muito esmagada.

A perseguição política que de maneira acentuada toma forma no Equador faz parte de uma política geral do imperialismo para com estes governos. Pois, na falta de popularidade dos regimes golpistas, o massacre e total perseguição da oposição é visto como necessidade para a manutenção do golpe.

O caso brasileiro não se difere muito do equatoriano, aqui diversos líderes foram assassinados e Lula, o maior nome da política latino-americana passou mais de um ano preso sem provas, impedido de concorrer uma eleição da qual sairia vitorioso. Esta na realidade, é a tendência a ser tomada por todos os governos golpistas, que entram de cabeça e um aprofundamento da ditadura nos países, perseguindo e matando seus opositores.

A política a ser seguida pela esquerda, seja ela brasileira ou equatoriana é a mesma. Em ambos os casos tais países estão tomados por governo capachos do imperialismos que vão empurrando ao povo uma política ditatorial. Por isso, depender de ações judiciais em uma ditadura é uma política completamente insuficiente dada a gravidade da situação. Como já demonstrado tanto pelos equatorianos quanto os brasileiros, o único caminho viável para acabar com esta ditadura é a mobilização popular.