Paraná: comunidade universitária da UFPR protesta contra corte de verbas pelos golpistas

ufpr

Após o anúncio de mais um ataque  que representa o avanço da política dos golpistas, diversos setores já denunciaram o corte de verbas do Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), e que logo deixou claro para quê foi dado o golpe de Estado no país. Sendo ele o principal inimigo da educação no país, com o golpe medidas como a emenda 95 foram aprovadas e consolidadas para acabar com o ensino público no país uma vez que congela os investimentos por 20 anos.

Com isso, a UFPR (Universidade Federal do Paraná) realizou na última quarta-feira (8) ato contra o corte de verbas do Capes pelos golpistas. Os estudantes de graduação, pós graduação e demais seguimentos compuseram um ato com cerca de 1000 pessoas na Praça Santos Andrade, em Curitiba. Durante o ato foi lida uma moção em répudio que fora aprovada pelo conselho universitário. A moção denuncia as medidas impetradas pelos golpistas desde então, e logo faz um chamado a mobilização do corpo estudantil e de todos aqueles que querem que o ensino superior públco e a ciência sejam garantidos no país.

Mais do que nunca, o que se evidencia muito incisivamente, é que este é o clima que os golpistas querem colocar frente a situação, impor toda uma precarização do ensino no país para que consequentemente se prevatize as universidades no pais e todo o ensino público de conjunto e entregue nas mãos do capital estrangeiro.

O momento que está colocado e que cada vez fica mais latente, é a luta contra o golpe, golpe este que é o grande responsável pelo massacre que vem sendo promovido contra a educação e agora principalemente contra as pesquisas científicas feita pelos estudantes que estão sendo atacados com o corte de verbas. É preciso travar a luta real e efitiva contra o golpe, todos os setores devem estar organizados nesta política. Nesse sentido, é preciso uma grande mobilização desses setores dentro das universidades contra o corte de verbas concomitantemente à derrota do golpe.