A paralisia cerebral no meio da esquerda

Na última edição do programa Análise política da semana, o companheiro Rui Costa Pimenta, presidente nacional do PCO comentou um pouco da inércia e omissão da esquerda diante da iminente ameaça de golpe militar.

“Mais uma vez nós temos que destacar o fato de que, por mais que os militares façam, há uma paralisia cerebral muito grande na esquerda. Ninguém por exemplo assume a posição democrática que é; militares? Só no quartel. Vamos dizer que você se considere um democrata, não dizendo que você se considere um revolucionário socialista e comunista como o PCO, vamos dizer que você se considere simplesmente um democrata. Você é um democrata defensor dos direitos democráticos.

Se você tem essa posição, você deveria assumir claramente de que os militares deveria voltar para o quartel, os militares não tem que atuar na situação política do país. No Brasil graças a iniciativa da direita e dos militares e também á paralisia geral da esquerda, já está se tornando uma coisa de senso comum que a presença dos militares nas ruas do país é uma coisa normal.

Não, isso não é uma coisa normal. A presença dos militares nas ruas é uma ameaça aos direitos de toda a população. Tem problema de segurança do ponto de vista da burguesia? Usa a polícia que já é super sanguinária e violenta. Agora tem essa de a polícia que antes eram os heróis da garotada, agora é a coisa mais corrupta que tem no mundo.

Não sei se vocês perceberam essa pequena mudança de postura da polícia militar? Passou do Self, defensores da humanidade, para as pessoas mais corruptas do mundo que o exercíto precisa intervir para destituir todos os chefes de polícia. Logicamente que esse tipo de coisa é uma manobra, depois tem o seguinte; se a polícia assim é corrupta, imagina os militares? Quem foi que deu a eles uma carta de absolvição de todos os pecados possíveis e imagináveis? Ninguém.

Tudo isso é uma manobra publicitária para convencer os encautos, a única posição democrática nessa situação é que os militares não tem que estar na rua, é o mínimo que nós temos que exigir em se tratando de forças armadas. As forças armadas foram concebidas para a guerra, para a defesa nacional e não para intervir como elas estão fazendo no Rio de Janeiro. Então há uma certa legitimação disso ai graças a posição da esquerda, e com isso vai abrindo caminho para todo o tipo de aventura direitista.

Queria chamar a atenção para o seguinte fato; isso não não é uma conduta nova. Sempre que você tem em países aonde houve golpes militares, de um modo geral em todos os países onde há a ameaça das forças armadas, sempre aparecem um monte de gente de esquerda para dizerem que não as forças armadas são legalista e etc… e tal. Temos que lembrar que a famosa frase do Prestes, e que foi proferida algumas semanas antes do golpe de 64 que as forças armadas são legalistas e que se houver algum golpista, que ousasse levantar a cabeça que o próprio exercito cortaria a cabeça deles. Então nós estamos esperando esse corte sair e país amargou mais de vinte anos de ditadura militar.

Então tem que prestar atenção nisso porque é comum a esquerda pequeno burguesa que tem essa mitificação, esse feitiche, essa fetichização, que apesar de os militares estarem armados até os dentes, de que são todos os uns fascistas de quatro costados, eles estão ai para defender a legalidade. Isso não é fato isso não é assim e não tem nada haver uma coisa com a outra.”

O programa Análise política da semana vai ao ar todos os sábados sempre ás 11:30 da manhã pelo canal da causa operária TV no Youtube a COTV, sempre com a apresentação do companheiro Rui Costa Pimenta. Se inscreva em nosso canal da COTV e seja um dos já mais de 19 mil inscritos que estão fortalecendo a luta por uma TV que fique 24 horas no ar e combata o monopólio da imprensa capitalista, imperialista, e golpista que há décadas domina os meios de comunicação no nosso país.

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/contribua-com-a-campanha-contra-prisao-de-lula