Paradoxo do “Estadão”: PT aumentou renda dos pobres e não fez nada pelos pobres

Lula

Em qualquer pesquisa, mesmo as que são encomendadas pela burguesia, o ex-presidente Lula aparece como o favorito para as eleições presidenciais deste ano. Lula está preso, o atual governo é um capacho dos setores mais reacionários da burguesia e o Judiciário é controlado pelo imperialismo – mesmo assim, a direita não consegue controlar a crise no Regime Político.

O Regime Político está apodrecido, falido, e muito próximo de um colapso. O governo golpista completou dois anos há pouco e já se encontra em frangalhos. A crise do capitalismo é colossal e provoca, inevitavelmente, uma reação forte da população contra o golpe. A reação, mesmo desorganizada, encontra na candidatura de Lula uma ameaça seríssima, fazendo com que a direita se desespere.

Em seu editorial chamado “Futuro perdido”, publicado nessa semana, o jornal golpista O Estado de S. Paulo admite que os governos do PT aumentou a renda dos pobres, atribuindo isso a uma “distribuição forçada de renda”. Contudo, mesmo admitindo a evidente melhora, o jornal golpista diz que Lula é responsável pela pobreza de cada brasileiro de hoje – embora o presidente do país seja o golpista Michel Temer.

O argumento do jornal golpista é centrado basicamente na crítica do programa Bolsa Família, que contemplou dezenas de milhões de pessoas no governo do PT, incentivando principalmente a assistência médica e educacional e funcionando como parte da luta dos governos petistas contra a fome. Para O Estado de S. Paulo, no entanto, esse programa não deveria existir e é o principal responsável pela quantidade de pessoas vivendo hoje na pobreza.

Obviamente, a crítica de O Estado de S. Paulo não visa apontar alguma falha no programa Bolsa Família para melhorá-lo. Trata-se, na verdade, de uma tentativa ridícula de atentar contra um dos principais legados do PT – e, portanto, uma forma de atacar o ex-presidente Lula. O problema é que a crise é tão grande e o desespero da direita é tão evidente que a imprensa burguesa não consegue nem mesmo atacar seus adversários com um pingo de coerência.

O patético editorial do jornal golpista mostra claramente que é necessário colocar o regime golpista abaixo. É necessário mobilizar os trabalhadores, formar comitês de luta e reivindicar, na marra, a liberdade de Lula e uma assembleia constituinte reduza o Regime Político a pó.