Campanha salarial dos frios
Os patrões dos frigoríficos aumentaram seus produtos em mais de 50%, e mais uma vez estão enrolando para reajustar os salários dos trabalhadores, só a greve resolverá o problema.
abate de frango - 02-05-2019
Noria de aves em abatedouro. Foto: reprodução. |

Os patrões dos trabalhadores em frigoríficos estão mais uma vez enrolando para negociar a pauta de convenção da campanha salarial correspondente ao período de 2019/2020.

Apesar de a pauta já ter sido entregue há dois meses, a primeira reunião só ocorrerá no mês de dezembro, no dia quatro, é um descaso enorme para com os trabalhadores que, desde 2017 não tiveram assinadas suas campanhas salariais, devido aos patrões não se dignarem em reajustar adequadamente os salários, apesar de terem obtidos vultosos lucros ao longo desse período.

Em assembleia dos trabalhadores foi definido que, a inflação manipulada do governo golpista do fascista Jair Bolsonaro não poderá servir como parâmetro para os patrões, principalmente porque, como as tarifas de aluguel, água, luz, combustível que sobe praticamente de 15 em 15 dias, além dos produtos alimentícios em geral e principalmente dos produtos de carne, que tiveram alta de preços a percentuais assustadores.

A situação e tão escandalosa que, somente neste ano, os patrões reajustaram seus produtos em mais de 50%. Somente neste mês de novembro, o aumento foi superior a 30%, em determinados casos o aumento chegou a mais de 40%, se contarmos o acumulado, desde 2017 a majoração do preço da carne beirou aos 100%.

Os trabalhadores nas indústrias de carne, derivados e do frio exigem:

Reposição das perdas salariais que, acumuladas chegam a 35%;

Salário mínimo vital de R$ 4.500,00;

Redução da jornada de trabalho para 35 horas semanais, sem redução nos salários;

Cesta básica de 45 kgs;

Convênio médico gratuito para os trabalhadores e suas famílias

Na próxima sexta-feira (06), os trabalhadores dos frios e da carne realizarão assembleia para discutir a proposta dos patrões.

Os representantes dos sindicatos estão realizando, nos frigoríficos nas diversas regiões e, os trabalhadores já disseram que não querem esmolas, se vierem com enrolação haverá paralisação.

Relacionadas