Luta antirracista
Para o fim do genocídio do povo negro, o aparato de repressão que precisa ser destruído e não monumentos sobre a história do Brasil
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
policefire
Manifestantes atearam foto na delegacia de Minneapolis, EUA. | Foto: Reprodução

Manifestações explodiram no mundo todo após milhares de pessoas assistirem o vídeo de um homem negro norte-americano ser assassinado cruelmente por um policial branco. No calor destas manifestações, estátuas de genocidas e escravocratas estão sendo destruídas durantes os protestos. Claro que não condeno nenhuma manifestação popular contra os opressores. Porém, aqui no Brasil, o debate pela derrubada de estátuas não analisa qual a verdadeira consequência disto para a luta dos oprimidos.

No Brasil, alguns elementos pequeno-burgueses do movimento negro, influenciados pelos manifestantes estrangeiros, formularam uma lista de monumentos e estátuas que poderíamos derrubar no Brasil para supostamente acabar com o racismo no nosso País. O que me chama atenção, é que a lista apresenta principalmente, monumentos que contam sobre o desenvolvimento histórico do Brasil, que de fato não é um passado muito bom para os oprimidos como os negros e índios, assim como o presente ainda não é, mas o nosso passado precisa ser lembrado e estudado, e destruir monumentos não muda o passado e nem tem resultados significativos para o presente e futuro dos oprimidos.

Outra coisa que gostaria de destacar é que nos locais onde estátuas estão sendo destruídas, grandes atos estão  ocorrendo há dias. E estes monumentos não são os alvos principais dos manifestantes e sim a polícia. Delegacias foram atacadas e viaturas foram totalmente destruídas por fogo ou pedradas. Acertadamente, estes manifestantes antirracistas estão atacando o principal braço repressivo do Estado burguês responsável pela mortes de milhares de negros, imigrantes e trabalhadores.

No Brasil, quase 1 milhão de pessoas -maioria negra- estão presas em prisões que são verdadeiros infernos na Terra, lugares totalmente insalubres, superlotados, verdadeiros campos de concentração. Nas delegacias, ocorrem torturas contra detidos e é pelas viaturas que os policiais chegam nos bairros pobres causando muito terror e mortes. O fim desta instituição assassina que precisa ser o objetivo do movimento negro e antirracista no Brasil.

Nos EUA, após dias de manifestações radicais, a repressão não aumentou, como alguns ousam argumentar aqui no Brasil contra o desenvolvimento da luta nas ruas brasileiras. Pelo contrário, o governo norte-americano, para conter a revolta popular, tem acatado as reivindicações dos revoltosos pela dissolução da polícia em Minneapolis. E por todo país o debate está colocado: acabar com a polícia para acabar com a violência contra os oprimidos. Um futuro sem repressão burguesa, não é só possível, como pode estar próximo se tomarmos as atitudes consequentes para isto.

E essa luta passa, diretamente, pela derrubada do regime genocida e ditatorial – principalmente contra os negros – do fascista Jair Bolsonaro. Não há como propor nenhuma dessas medidas sem pedir o Fora Bolsonaro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas