Tudo para a burguesia
Enquanto milhões de trabalhadores enfrentam as consequências da crise com a fome e doenças, a elite é muito bem aparada pelo governo.
Bancos lucram cada vez mais com taxas e juros, em cima da classe trabalhadora. |

Na última segunda-feira (27), a Secretaria Especial da Receita Federal publicou uma instrução normativa, onde será reduzido de 20% para 15% a alíquota de CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) dos bancos, em pleno caos social e sanitário que o país enfrenta. Com isso, o Estado deixa de arrecadar mais de 40 bilhões, somente dos quatro maiores bancos privados do país.

A CSLL é um tributo federal, que serve para financiar a seguridade social, que entre alguns regimes de assistência, está incluso o da Previdência Social, ou seja, mais um roubo no caixa que financia o direitos sociais dos trabalhadores.

As quatro principais instituições bancárias tiveram um recorde em seu lucro, com crescimento de 18% em 2019, em comparação com o mesmo período de 2018, tendo um lucro de mais de 80 bilhões.

Não bastasse o fato destas instituições não serem tributadas sobre suas grandes fortunas, receberem mais de 1 trilhão dos cofres públicos (Só no início deste ano), agora a população brasileira conta com mais este assalto. É notório o esforço deste governo direitista psicopata, em beneficiar ao máximo os capitalistas que insistem em colonizar esse país, pois enquanto os bancos tem rios de dinheiro despejados a seu favor, a categoria dos bancários sofrem com o descaso total de seus patrões, que prosseguem na linha de frente em suas atividades nas agências, correndo um grande risco de contaminação por conta do surto de coronavírus, uma vez que o dinheiro não pode parar de entrar no caixa dessa burguesia parasita.

O que é mais desumano e assustador, é agilidade deste desgoverno em atender essa elite saqueadora de pobres, que são rapidamente atendidos quanto à entrada de capital em seus caixas, mas para a população conseguir sacar o auxílio esmola de R$ 600,00, tem sido um verdadeiro parto, devido à burocracia imposta ao povo, dificuldade que os banqueiros nunca tiveram em momento algum da história.

É de extrema urgência, o entendimento de que é necessário a estatização de todo sistema financeiro, pois é a única forma de colocar os bancos como um fator de financiamento do crescimento e não da especulação que é que tem acontecido em todo o mundo capitalista, em especial o Brasil, que conta com a maior taxa de juros do planeta, deixando as famílias cada vez mais endividadas e sem outra saída, que não seja ficar negociando dívida, pagando juros sobre de juros.

A classe trabalhadora não pode aceitar esse roubo diante dos seus olhos, principalmente nesta crise sanitária que o país enfrenta, onde até agora, não houve uma medida sequer que atenda a classe pobre e trabalhadora. Apenas a burguesia tem utilizado este desgoverno, para realizar um verdadeiro assalto aos cofres públicos, deixando o povo totalmente desalentado e com as opções de morrer de fome, ou de doença. Nenhum dinheiro para os capitalistas! Por um governo dos trabalhadores da cidade e do campo! Fora Bolsonaro!

Relacionadas