Para João Doria: 12 presidiários que já deram entrevistas

Dória-carnaval

João Agripino da Costa Doria Junior, governador tucano de São Paulo, revoltado com a entrevista concedida pelo ex-presidente Lula, disse que ele, Lula, estaria em um processo avançado de esclerose e que nunca viu “presidiário dar entrevista na prisão. É um fato inédito no Brasil. ”

Lembremos a Doria que alguns presidiários, criminosos confessos inclusive, alguns considerados bastante perigosos, deram entrevistas:

No Brasil:

1 – o assassino em série conhecido como Maníaco do Parque (Francisco de Assis Pereira);

2 – Chico Picadinho (Francisco Costa Rocha), outro assassino em série, que ficou preso por mais de 40 anos;

3 – Bruno Fernandes, o goleiro do Flamengo, condenado pelo assassinato de Eliza Samudio;

4 – Fernandinho Beira-Mar (Luiz Fernando da Costa) líder da organização criminosa Comando Vermelho;

5 – Suzane von Richthofen, que planejou o assassinato dos pais;

6 – Eduardo Cunha, golpista condenado por corrupção e lavagem de dinheiro ;

7 – Marcelo Odebrecht, condenado por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa;

e alguns famosos internacionais:

8 – Jeffrey Dahmer, serial killer americano;

9 – Ted Bundy (Theodore Robert Cowell), sequestrador, estuprador e assassino em série;

10 – Charles (Miller) Manson, um psicopata que, junto com a família, cometeu inúmeros assassinatos;

11 – Richard Ramires (Ricardo Leyva Muñoz Ramírez), conhecido como the night stalker, um satanista estuprador, sequestrador e assassino.

Doria, que tem bastante tempo de sobra para criar e divulgar suas tiradas, também pode assistir à série de TV “Conversando com um serial killer” (Netflix)  ou  “Women Behind Bars” (We TV). Mas se quiser algo bastante proveitoso, politicamente falando, pode recuperar a famosa entrevista de (12) Angela Davis, de 1972 – lembrando que ela  foi presa por ser membro do Partido dos Panteras Negras e acusada de conspiração, sequestro e homicídio em primeiro grau, embora ela não tenha participado nem fosse cúmplice do crime da qual a acusavam.

João Agripino da Costa Dória Junior, que sempre viveu nos bastidores da velha política, e enriqueceu nela, têm aspirações ambiciosas, não escondendo de ninguém que pretende ser o próximo candidato à presidência da republica, senão pelo PSDB, por qualquer outro partido de direita.

Se Lula aparece forte, e se crescer a certeza de que foi vitima de perseguição, que seu julgamento foi um farsa, indicando que os ‘poderosos’ têm medo dele, personagens como Dória e Bolsonaro obviamente sentem-se ameaçados em suas pretensões.

Mas, independente disso, a atitude de Agripino Doria, que não foi citado por Lula durante a entrevista, mostra que ele não nega seu verniz autoritário, ao contrário.

Quem sabe  alguém se interessa em entrevistar Paulo Vieira de Souza (Paulo Preto), hoje na condição de presidiário e apontado como operador de propinas do PSDB, responsável por abastecer o caixa de campanha de tucanos famosos.