Para garantir a liberdade de Lula e sua candidatura. Todos a Brasília dia 15!

lula_sbc
Depois de anunciada a indicação de Lula como o candidato a presidente pelo PT no último sábado e na segunda-feira os dois nomes para vice. Em primeiro lugar Fernando Haddad e também o nome de Manuela D’Ávila do PCdoB.
Bastou este aceno da direção do PT para um possível plano B para que uma parte da esquerda pequeno burguesa dentro e fora do PT já assimilasse como “resolvida” o impasse eleitoral para o Partido dos Trabalhadores.
Primeiramente Lula se inscreve e caso não seja ratificado pelos TSE, ou melhor dizendo, um dos donos do golpe, o PT segue na campanha com Haddad e Manuela.
Esta suposta solução, apresentada pela direção do PT, na última hora antes do final do prazo de inscrição dos candidatos, no último domingo, dia 5, não resolve a questão do golpe.
O golpe de estado está em curso no país há mais de dois anos e desde a queda da presidenta Dilma Rousseff os golpistas vem aplicando um programa de pilhagem da riqueza nacional e dos direitos democráticos e econômicos dos trabalhadores brasileiros. A eleição é mais um terreno pelo qual os golpistas vão agir para dar continuidade e aprovar a política imperialista contra o Brasil.
O impasse das eleições é sem sombra de dúvidas o Lula, pois é o elemento que pode impedir a concretização do Golpe.
Lula representa a maioria da população pobre e explorada do país. É o elemento na situação política que desestabiliza todo o golpe, pois está amparado no anseio popular de garantir e ampliar os direitos da população pobre e dos trabalhadores. Independentemente da vontade do próprio Lula ou do PT, sua candidatura é um enfrentamento direto aos golpistas.
Prova disso é todo o processo de perseguição política que o ex-presidente está sofrendo que resultou na sua condenação sem provas e o seu encarceramento há mais de 120 dias. O judiciário já demonstrou que desrespeita as leis e a Constituição Federal e que mesmo as medidas legais cabíveis não serão cumpridas. Basta ver o que ocorreu com a liminar de soltura do ex-presidente concedida, mas não cumprida pelo TRF-4.
Para os golpistas Lula não pode estar nas eleições e para isso vai utilizar de todos os meios necessários.
Diante deste quadro em que a justiça atua sistematicamente em favor do golpe somente o povo na rua pode responder à altura a esta perseguição.
No próximo dia 15 de agosto está marcado o ato em Brasília, em frente ao TSE, para garantir que o registro da candidatura de Lula seja aceito. Neste ato também será exigida a sua liberdade.
Não é possível acreditar nas eleições em situação de “normalidade” e muito menos em meio a um golpe de Estado.
A eleição é uma forma em que a burguesia organiza  a sua dominação. E para que a sua dominação perpetue é necessário que Lula não participe.
O momento é de concentração e reunião de esforços de todos os setores populares e organizados, sindicatos, associações, partidos de esquerda e organizações democráticas para ocupar Brasília no próximo dia 15 e exigir dos a liberdade imediata de Lula e garantir a sua candidatura.
Eleição sem Lula é fraude. Todos a Brasilia no dia 15 de agosto.