Para esmagar o povo, Alckmin promete criar Guarda Nacional com pretexto da “segurança”

CORREIO ENTREVISTA PRÉ-CANDIDATOS 2018

Da redação – Nesta terça-feira (21), Geraldo Alckmin deixou clara sua real intenção de governo: recrudescer o regime brasileiro contra o povo. A esse plano, dá o nome cínico de “prioridade absoluta da segurança nacional”, prometendo, inclusive, criar a “guarda nacional”, dizendo que “quer ser lembrado como ‘presidente da paz’”. Isso prova que não há diferença prática entre a chapa “Bolsonaro-Mourão” e Alckmin. O dito “centrista” é o golpe da direita para instaurar um governo justificado pelas urnas que conduza o país para a intervenção militar.

Pronunciando-se com o mesmo discurso das Forças Armadas, disse no encontro de campanha ocorrido no Rio de Janeiro: “Nós vamos criar uma Guarda Nacional em caráter permanente, porque a Força Nacional é transitória: você empresta de um estado para atender outro. Vamos ter uma permanente e trabalhar a inteligência e até diplomática com [países] vizinhos. Tráfico e contrabando exigem atuação vigorosa do governo federal”.