Maia e o governo Bolosonaro
Rodrigo Maia se mostra tão liberal e a favor dos capitalistas quanto a equipe econômica de Paulo Guedes
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Brasilia DF 19 12 2019 O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, faz balanço dos trabalhos da Casa em 2019.foto Marcelo Camargo/Ag. Brasil
Rodrigo Maia. Foto: Marcelo Camargo/Ag. Brasil |

Apesar de todas as declarações e críticas ao governo Bolsonaro nos últimos meses, Rodrigo Maia (DEM/RJ) se mostra tão liberal e a favor dos capitalistas quanto a equipe econômica de Paulo Guedes.

Após o fracasso dos índices econômicos divulgados para o primeiro ano de governo Bolsonaro, muito abaixo das expectativas, ficou claro que as reformas impostas para prejudicar a população trabalhadora não foram e não serão a solução para a crise econômica que assola o país. Porém, para Rodrigo Maia, o fracasso está na demora da aprovação dessas reformas, ou seja, a crítica não está na política econômica do governo, mas sim na demora para que elas aconteçam e prejudiquem ainda mais o povo brasileiro. Além da reforma da previdência e o teto de gastos, estão na agenda econômica do governo a reforma tributária e administrativa. Segundo Maia, as reformas deveriam ter sido aprovadas já no começo do mandato de Bolsonaro em 2019, e que um dos fatores para a demora se deve á relação conturbada entre governo e parlamentares. Outro fator agravante para a economia nacional é a crise mundial causada pelo corona vírus e a guerra dos preços do petróleo, que segundo Maia, o governo deverá conduzir a reação do Estado Brasileiro com “serenidade” e “diálogo”, mas sabemos muito bem que quando uma grande crise capitalista está ocorrendo, o mais prejudicado é sempre a massa trabalhadora com as políticas liberais que só vêem o benefício e o “socorro” aos grandes capitalistas.

Ainda sobre o governo Bolsonaro, Maia declarou que as convocações feitas pelo presidente para os atos marcados para o próximo domingo (15) em favor do governo e ao fechamento do STF não são crimes cometidos e que não se enquadram para um pedido de impeachment. Estas declarações só demonstram o perigo e até mesmo a ingenuidade de uma parte da esquerda pequeno burguesa em propagarem a ideia de uma Frente Ampla com setores “moderados” da direita contra o governo Bolsonaro.

Não existe moderação e muito menos diálogo com a direita liberal, que sempre trabalha a favor dos capitalistas e contribuindo para o aumento da desigualdade e pobreza dos trabalhadores. A esquerda deve tomar a frente das decisões e convocar as massas para o Fora Bolsonaro e fora todos os golpistas, inclusive a “direita moderada” de Rodrigo Maia.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas