Escárnio com o povo
Com número de infectados e mortos atingindo a atmosfera, capital paulista começa flexibilizar a quarentena
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
o-prefeito-bruno-covas-em-coletiva-de-imprensa-apos-primeiras-sessoes-de-quimioterapia-1576155004051_v2_1920x1277
Prefeito Bruno Covas - empregado da elite | Imagem: João Alvarez/Fotoarena/Folhapress

Com os números de infectados e mortos por COVID-19, todos os dias batendo recordes no estado de São Paulo e consequentemente na capital Paulista, o prefeito da cidade de São Paulo – Bruno Covas (PSDB) – autoriza o funcionamento de concessionárias e escritórios, com atendimento limitado a 4h por dia. A medida foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (05).

Segundo a publicação, os setores deverão seguir normas e protocolos de funcionamento determinadas pela gestão municipal.

Foram determinadas uma série de restrições ao funcionamento impostas para concessionárias e escritórios, como por exemplo:

Público limitado a 20% da capacidade total;
Obrigatório uso de máscaras para funcionários e clientes;
Apoio à testagem de casos suspeitos entre funcionários;
Medição de temperatura na entrada;
Espaçamento de 1,5 metro entre pessoas, com uso de demarcações e barreiras físicas;

Segundo o prefeito, o protocolo para o setor de escritórios contempla, por exemplo, escritórios de advocacia e de contabilidade. “Esses protocolos serão assinados com a OAB [Ordem dos Advogados do Brasil], com a CESA [Conselho Regional de Administração do Estado de São Paulo], com os sindicatos das cidades de direito, com os sindicatos contabilistas, com os sindicatos das empresas de serviços contábeis. A assinatura vai se dar aqui na Prefeitura de São Paulo agora às 16h da tarde”, declara Covas. Com sindicatos como estes, quem precisa de patrão explorador?

A imprensa burguesa adora divulgar as “medidas” das autoridades públicas, de “combate” ao novo coronavírus, mas em momento algum, noticia quem são os beneficiados com as tais medidas. A flexibilização da quarentena está a todo vapor na capital Paulista – epicentro da crise no país – com a desculpa esfarrapada, de que os números estão abaixando, fazendo a famosa conta entre o número de contagiados x número de habitantes.

Na realidade, o que o prefeito “científico” está fazendo, é jogar a população que não terá outra opção, que se arriscar a contrair o vírus, para não deixar de trabalhar, ao invés de adotar medidas de assistência para que o povo possa permanecer em isolamento.

Estas restrições de aglomerações para evitar o contágio, servem apenas para um número pequeno de pessoas, não para a quantidade de pessoas que terão de sair às ruas para ir trabalhar, ou receber o atendimento destes setores.

Essa quarentena não passa de uma farsa deste governo golpista, que estão querendo jogar o povo na fogueira, para salvar meia dúzia de capitalistas sanguessugas, uma vez que este sistema econômico não se sustenta em crises e o prefeito Bruno Covas – que faz jus ao nome – só é mais um, que contempla a lista de capachos da burguesia parasita, que não gosta de trabalhar.

O povo deve se unir em mobilizações de rua, para a derrubada deste governo genocida, fascista e cínico. Não é possível mais prosseguir tolerando tanta aberração praticada contra a classe trabalhadora da capital paulista, que está totalmente esquecida do poder público.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas