Papel aceita tudo: política de Ciro contra a venda da Embraer consiste em mandar uma carta para a Boeing

ciro v

Nesta terça-feira (17-07), o candidato abutre Ciro Gomes defendeu, em discurso, ser contra a entrega da Embraer para  a Boeing, e para dar mais “realidade” a seu discurso de político, também ficou de enviar uma carta para os capitalistas golpistas da Boeing para cancelar essa operação.

Além da ação de escrever uma carta para a Boeing ser uma ação totalmente inócua, já que nenhum capitalista golpista do imperialismo tem sensibilidade pela literatura, também é uma ação demagógica do candidato do pato da FIESP, Ciro Abutre Gomes.

Enquanto Ciro está em plena campanha eleitoral fazendo discurso demagogo para agradar a direita e a esquerda, a sua equipe econômica da pré-candidatura a presidência da República anuncia que é preciso privatizar de imediato quase todas estatais no Brasil e discutir se vai privatizar as que sobrarem,

É por isso, que falamos que não pode acreditar em discurso de político, mas em seus atos concretos e que papel aceita qualquer coisa.

Como todo político burguês, os discursos de Ciro Gomes não vale uma pipoca queimada, pois não passa de discursos, já que na prática, no mundo real, Ciro tem relações sociais são com golpistas e com grandes capitalistas, a exemplo do Vice-presidente da FIESP -(Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) o golpista Benjamin Steinbruch.

Temos que lembrar que Ciro fez discurso de que iria levar Lula para uma embaixada se ele fosse preso pelo golpista Sérgio Moro, depois de preso, Ciro além de não ter cumprido a sua promessa, ainda anuncia que a prisão de Lula não é política, mas é um caso de corrupção. Ciro é abutre e para conseguir se eleger é capaz de propor até vender a própria mãe.