Patrimônio público
A declaração do presidente da Caixa de vender mais uma subsidiária vem logo em seguida à do ministro da economia ao afirma que tem que vender a p* do BB
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
caixa_100_publica_0
Protesto em agência da Caixa. | Foto: reprodução

Na última quinta-feira (21) o presidente golpista da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, deu mais uma declaração no sentido de entregar as subsidiárias da estatal, com o objetivo, único e exclusivo de favorecer banqueiros e capitalistas, nacionais e internacionais e, além disso, preparar o caminho da privatização do único banco no país 100% estatal.

Já no final do ano passado a direção do banco entregou uma das mais lucrativas subsidiárias, Lotex, para um consórcio internacional formado por empresas italiana e norte americana, por um preço de banana, abaixo o de mercado, com o lance de R$ 96,969 milhões, sendo que em 2018 a arrecadação total das loterias chegou ao valor de R$ 13,9 bilhões, valores esses que passam para engorda os bolsos de meia dúzia de capitalistas, quando esses recursos eram reinvestidos nas áreas de seguridade social, esporte, cultura, segurança pública, etc. Ainda como parte da política de privatização, no começo deste ano o banco lançou um plano de reestruturação nas agências bancárias da Caixa batizado de “Novo Modelo de Varejo”, que ocasionou a perda das comissões gratificadas de vários cargos, extinção de funções, e com o objetivo principal de extinguir com os caixas executivos e tesoureiros efetivos para transformá-los e servidores minutos, ou seja, elimina a sua gratificação mensal passando a receber apenas as horas trabalhadas naqueles postos, ou seja, mais um passo em transforma a Caixa em um banco de mercado.

Agora, em plena crise da pandemia do coronavírus, a direção da Caixa sai com mais essa: em teleconferência com a imprensa, para a divulgação dos resultados do lucro do banco no primeiro trimestre de 2020, reafirmou a intenção de vender a subsidiária cartões. A declaração de Guimarães é parte da política do governo ilegítimo/fascista Bolsonaro em adequar o banco com o objetivo de transformação-lo em um banco de mercado, conforme as próprias afirmações do Chicago-boy e presidente da Caixa, Pedro Guimarães, que se especializou em privatizações nos Estados Unidos, que já deu sinais, em outros oportunidades, que pretende transformar a Caixa numa S.A. e, logo em seguida privatizar.

Não é por acaso que o posicionamento do presidente da Caixa vem logo em seguida do que disse o transloucado Ministro da Economia, Paulo Guedes, na fatídica reunião ministerial, onde falou que “tem que vender essa porra logo”, se referindo ao Banco do Brasil.

A venda das subsidiárias da Caixa é parte da política do governo neoliberal em transformar um banco 100% publico, que tem uma função social importantíssima, que atende comunidades até nos rincões mais afastados do país, com agências e postos de serviços em milhares de municípios, responsável por programas de habitação, saneamento básico, financiamento estudantil, Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida, como parte da entrega de todas as empresas estatais lucrativas do país, com o claro objetivo de favorecer banqueiros e capitalistas em crise.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas