Pandemia
Sindipetro denuncia que taxa de ocupação das plataformas da Petrobrás tem aumentado durante a pandemia, o que coloca em risco a saúde dos trabalhadores
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
plataforma-1
Plataforma Petrobrás | Foto: Reprodução

A Petrobrás tem aumentado o contingente a bordo das plataformas que é chamado de POB. A partir de denúncias realizadas pela categoria o Sindicato monitorou a plataforma de P-56 e levantou que no dia 1 de junho a plataforma tinha 132 trabalhadores a bordo no doa 1 de julho esse número havia subido para 176 pessoas a bordo.

Em tempo de pandemia de COVID-19, quando temos 2.556.765 de casos confirmados no país e mais de 90 mil mortos, a Petrobras ao invés de proteger seus trabalhadores assume a política genocida e negacionista do presidente Jair Bolsonaro, aumentando a taxa de ocupação nas plataformas.

Essa ação coloca ainda mais em risco a saúde dos petroleiros e petroleiras e segue no caminho contrário da orientação do Sindipetro-NF que é de manter o POB baixo para reduzir o contágio.

Desde o início da pandemia o Sindipetro-NF encaminhou às empresas uma série de recomendações que envolviam também o uso de máscaras, os testes, a necessidade de quarentena, mas as ações da empresa têm sido muito abaixo do esperado, o que faz com que o número de contaminados só aumente.

O médico do trabalho, Dr. Ricardo Garcia em entrevista ao Nascente avaliou essas ações. “Não temos visto ações reais e com frequência diária (várias vezes ao dia) relacionadas a higienização de banheiros, de locais e postos de trabalho, de locais e veículos de transporte (terrestre e aéreo), de dutos de ar condicionado central; assim como não temos visto a distribuição de máscaras em número suficiente para cada turno de 12h e de qualidade para evitar contágio por via aérea. Sendo importante lembrar que para os trabalhadores prestadores de serviços as coisas estão piores: ônibus ou vans das empresas cheios ou não respeitando o distanciamento de 1,5-2 metros entre cada ocupante de, sem distribuição de máscaras para transporte ou trabalho, sem testagem para um grande número de trabalhadores que convivem nos mesmos espaços de trabalho” – disse.

Para a diretoria do Sindipetro-NF não é hora de retomar as atividades como se nada tivesse acontecendo e por isso solicita apoio da categoria petroleira encaminhando dados do POB de suas plataformas, para que o sindicato possa monitorar e cobrar ações efetivas dos órgãos competentes, através do e-mail [email protected].

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas