Nova ameaça em curso
O país que detém os índices mais alarmantes da Covid-19 se vê ameaçado por uma nova onda de infecção e mortes

Por: Redação do Diário Causa Operária

Expedito Mendonça

Expedito Mendonça

Formado em História pelo Centro Universitário de Brasília (CEUB). Colunista do Diário Causa Operária, participa às quintas e domingo do programa de esportes "Na Zona do Agrião“, transmitido no Youtube pelo canal Causa Operária TV.

Os Estados Unidos, país capitalista economicamente mais rico e poderoso do planeta, que neste momento ostenta também o recorde mundial de mortes pelo coronavírus, pode estar entrando em uma quarta onda da pandemia da Covid-19. O alerta foi feito na sexta-feira (5) por Anthony Fauci, imunologista que é o principal especialista no combate ao novo coronavírus no país.

Desde o início da pandemia, os EUA – a economia mais pujante do mundo – lidera as estatísticas macabras, onde centenas de milhares de vidas já foram ceifadas e outras tantas infectadas. Esses números demonstram, acima de qualquer outra consideração, que o vírus, para além de um problema de saúde pública, é também uma questão que diz respeito ao próprio sistema capitalista. Não obstante todo o enorme progresso material alcançado com a técnica e a ciência mostrar-se incapaz de debelar uma epidemia, em pleno século XXI. A situação também demonstra a própria falência do modo de produção assentado na propriedade privada, na apropriação individual da riqueza, cada vez mais concentrada nas mãos de uma ínfima minoria de privilegiados, em detrimento de toda a humanidade,   

O imunologista norte-americano declarou ainda que: “estamos começando a estabilizar entre 60.000 e 70.000 casos por dia. Quando você tem um platô viral como esse, quase invariavelmente significa que você está em risco de um outro pico”. (Site Sputnik, 05/03). A informação foi dada no informativo diário do grupo de trabalho contra a Covid-19 da Casa Branca.

Ainda de acordo com as previsões do especialista, a nova onda provavelmente traria novas mutações, mais letais:

“… a estabilização em platôs ‘favorece a mutação e a evolução das variantes’, pois o vírus passa por um ‘processo de triagem’ para se proteger de anticorpos produzidos por vacinas e infecções anteriores” (idem, 05/03).

O vírus tem parecido ser um pouco mais inteligente do que aqueles que estão tentando combatê-lo.

Anthony Fauci atribui esta tendência de alta ao abandono das restrições de circulação de pessoas, dentre outros fatores. A queda no número de novos casos fez com que mais da metade dos estados norte-americanos abrandassem as medidas de circulação. Em alguns casos, as restrições acabaram completamente. O fato é que o isolamento social nunca foi uma realidade efetiva, pois os capitalistas sempre pressionaram para o retorno da normalidade das atividades econômicas, pois para esses, nada pode ser mais importante do que a garantia dos lucros e dos negócios empresariais.

Assim como no Brasil, onde um verdadeiro genocídio está em curso em razão da mesma política de salvaguardar os interesses capitalistas contra a saúde pública, também nos EUA os grandes grupos econômicos exercem uma enorme pressão para verem preservados seus interesses. Ainda que o custo desta operação criminosa seja a continuidade do morticínio contra a população, em especial contra os menos favorecidos.

Send this to a friend