Destruição
A crise economica, a pandemia e Bolsonaro são a fórmula para destruir um setor importantíssimo da economia nacional.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
agricultura familiar
Alimentos produzidos por trabalhadores de assentamento da reforma agrária | Imagem: MST/SP

O agravamento da crise econômica causada pela pandemia de coronavírus está causando um enorme impacto entre os agricultores familiares de todo o país. Milhões de pessoas que vivem deste tipo de atividade econômica estão sendo duramente afetadas.

Segundo informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) a agricultura familiar envolve aproximadamente 4,4 milhões de famílias e é responsável por gerar renda para 70% dos brasileiros no campo e os dados do último Censo Agropecuário do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) dizem que 10 milhões de pessoas são empregadas pelo setor.

A crise econômica e a pandemia causaram uma enorme retração devido ao isolamento social e ao desemprego, que diminuiu as vendas e tirou a renda de grande parte dos trabalhadores que perderam sua renda através de cortes de salários e demissões. Os fatores que mais afetam é a redução da demanda, dificuldade para escoar os produtos devido à necessidade do isolamento social e a queda dos preços

Um dado que revela a situação dos agricultores familiares é na região metropolitana de São Paulo. Na região atuam próximo de 7.000 produtores e a queda nas vendas é gigantesca, estimada em até 80%.  E esse cenário se repete em todas as regiões do país.

 

Bolsonaro intensifica essa crise

 

Se não bastasse a crise econômica e sanitária, os agricultores familiares ainda têm que enfrentar a política de destruição colocada em prática por Bolsonaro e os latifundiários. Bolsonaro está acabando com toda a política de incentivo e apoio a pequenos agricultores desde que assumiu a presidência da República de maneira fraudulenta.

Vale lembrar em no ano passado, a ministra bolsonarista da Agricultura, Tereza Cistina do DEM-MS, declarou que acabou com o termo “agricultura familiar” para posteriormente ir retirando os recursos destinados a esses trabalhadores.

Um dos principais programas é o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) que vem sendo duramente atacado desde o governo Temer, herdeiro do golpe de estado de 2016, que reduziu drasticamente o orçamento destinado ao programa, que já chegou a ser de mais de R$ 1 bilhão durante o primeiro governo Dilma e segundo a Lei Orçamentária Anual de 2020 é de R$186 milhões.

Recentemente, Bolsonaro vetou o auxílio emergencial para mais de 20 categorias de trabalhadores, sendo boa parte dele ligadas a agricultura familiar. Mesmo que esses trabalhadores da agricultura familiar, sendo extrativistas, assentados e agricultores familiares, estejam sendo diretamente afetados pela crise e na sua esmagadora maioria muito pobres.

Bolsonaro e a direita golpista, com total apoio dos latifundiários, está causando um grande impacto no setor da agricultura familiar. Num primeiro momento, irá levar a milhões de trabalhadores para uma enorme pobreza.

Um segundo ponto é que a agricultura familiar é responsável por boa parte da alimentação básica da população brasileira. Isso porque, o agronegócio e os latifundiários são responsáveis para produzir, na sua esmagadora maioria, matéria-prima para exportação para países imperialista nos moldes do período colonial. Os dados do IBGE revelam que 70% do alimento produzido pelo país sai da agricultura familiar.

A destruição da agricultura familiar vai levar a uma redução drástica da oferta de alimento para a população e os preços devem subir no momento de crise e empobrecimento da população.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas