Palocci ganhou prisão domiciliar por mentir em delação premiada

palocci-1

Da redação – Dois dos três desembargadores da 8° turma do TRF-4(Tribunal Regional Federal) sediado em Porto Alegre, decidiram que a pena de Antônio Palocci deverá ser reduzida e transformada em domiciliar. Esses benefícios foram concedidos graças à instituição da delação premiada. Palocci está preso preventivamente em Curitiba desde setembro de 2016. O tempo que o ex-ministro permaneceu na prisão será abatido do resto da pena. Caso a prisão domiciliar seja confirmada, Palocci não deverá deixar a carceragem da polícia federal de imediato. As partes deverão entrar com embargos de declaração que é um tipo de recurso que pede esclarecimento sobre uma decisão judicial. Palocci está sendo processado por interferir em licitação para encomenda de navios sonda em negócio que envolvia a Petrobrás e Odebrecht.

Esse é mais um episódio que demonstra o caráter golpista da operação Lava Jato. A Justiça prendeu arbitrariamente Palocci e depois chantageou o ex-ministro a delatar seus ex-colegas de partido. Diante do caráter dessa investigação devemos condená-la mais uma vez.