Siga o DCO nas redes sociais

Palestino responde Bolsonaro
Palestino a Flávio: “pensei que seu pai era o único idiota da família”
Maratonista Mohammad Alqadi devolve a Flávio Bolsonaro insulto feito pelo fascista contra o povo palestino
Atleta palestino responde Bolsonato 02
Palestino responde Bolsonaro
Palestino a Flávio: “pensei que seu pai era o único idiota da família”
Maratonista Mohammad Alqadi devolve a Flávio Bolsonaro insulto feito pelo fascista contra o povo palestino
O atleta usa o esporte para lutar contra a barbárie israelense. Foto: Reprodução/Facebook
Atleta palestino responde Bolsonato 02
O atleta usa o esporte para lutar contra a barbárie israelense. Foto: Reprodução/Facebook

O atleta palestino Mohammad Alqadi postou em seu perfil no Twitter uma resposta a Flávio Bolsonaro, que em uma publicação na rede de microblogs, declarou desejar que os palestinos e militantes da libertação nacional do país, invadido pelo imperialismo desde 194, “se explodam”. Flávio, que como todos os Bolsonaros é estúpido num nível escatológico, recebeu do ativista da libertação palestina a seguinte resposta: “(…)achava que o único idiota na família era o seu pai. Agora acho que você está competindo com ele. O mais idiota na família. Pare de atacar os palestinos. Nós amamos os brasileiros, menos a sua família.”

A Palestina, sempre devemos lembrar, é uma nação estuprada pelo imperialismo sob a absoluta e criminosa indiferença da União Soviética stalinista. Seu território foi invadido pelas nações vencedoras da Segunda Guerra Imperialista (1939-1945), principalmente os Estados Unidos e a Inglaterra, que ocuparam militarmente a região e impuseram a criação de um Estado absolutamente fictício, povoado por europeus, que funcionasse como base de operações dessas nações e permitissem um controle mais rigoroso do Oriente Médio, situado no coração da chamada Eufrásia e uma área estratégica para uma dominação militar que permitisse a manutenção do domínio imperialista sob o mundo. Além disso, a região de conjunto segue sendo, desde fins do século 19, a mais rica em jazidas de petróleo de todo o globo terrestre, talvez a mais importante matéria prima do planeta desde a década de 1850.

Nesse conturbado histórico, os governos norte americano e inglês criaram, no então protetorado britânico da Palestina, o Estado de Israel, usando o tradicional “bom mocismo” imperialista para manter seu controle sob a região e o petróleo, enquanto instauravam um verdadeiro regime de terror contra os palestinos, escravizando a população, cercando-a geograficamente, impondo severas restrições à liberdade de locomoção dentro de seu próprio país. Ao mesmo tempo em que um bloqueio total, de características genocidas, é estabelecido com consequências desastrosas para a Economia palestina, que resultam no empobrecimento do povo, em dificuldades enormes para o desenvolvimento social, cultural e esportivo da população esmagada por décadas de escalada fascista crescente contra os palestinos.

Por tudo isto, o ativismo de atletas como Mohammad Alqadi tem de ser destacado e defendido. Conhecendo na pele as humilhações impostas pelo imperialismo contra sua terra e seu povo, Alqadi é um combatente pela libertação de sua nação contra a invasão de qual foram vítimas. Alguém que não se vendeu pelas migalhas das nações imperialistas, como os energúmenos da família Bolsonaro, mas que usa seu talento e sua coragem em defesa dos seus conterrâneos explorados contra a mais poderosa base de sustentação do regime de exploração global. Os setores da esquerda que não foram desorientados pela propaganda para tolos difundida pelo imperialismo sob a natureza do Estado israelense, devem se juntar ao maratonista e deixar clara sua intransigente oposição a existência desse puxadinho anglo-americano em terras palestinas que é Israel. Sua resposta a Bolsonaro poderia incluir um “também queremos que vocês se explodam!” A maioria dos brasileiros, deseja o mesmo.