Países com o mínimo de soberania denunciam tentativa de golpe na Venezuela

ad9b9421-8b31-4cbf-ada7-8abfb8307dde

Da redação – Diante da nova tentativa golpista na Venezuela, alguns países com o mínimo de soberania, com governos nacionalistas ou socialistas, denunciaram a nova agressão da direita comandada pelo imperialismo no dia de hoje (30).

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, publicou em sua conta no Twitter que seu país está “junto ao governo legítimo da Venezuela, que enfrenta com serenidade e coragem nova tentativa de golpe de estado da direita pró-imperialista, com a cumplicidade dos EUA e [de] governos lacaios da região”.

Também no Twitter, o presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou: “Condenamos energicamente a tentativa de golpe de Estado na Venezuela, por parte da direita que é submissa a interesses estrangeiros. Seguros que a valorosa Revolução Bolivariana encabeçada pelo irmão Nicolás Maduro irá se impor sobre esse novo ataque do império.”

“Os Estados Unidos com sua ingerência e promovendo golpes de Estado buscam provocar violência e morte na Venezuela, não lhe importam as perdas humanas, somente seus interesses. Devemos estar atentos e unidos para que os golpistas não voltem nunca mais a nossa região”, continuou. E acrescentou: “Convocamos os governos da América Latina e condenar o golpe de Estado na Venezuela e impedir que a violência cobre vidas de inocentes. Seria um nefasto antecedente deixar que a intromissão golpista se instale na região. O diálogo e a paz devem se impor sobre o golpe.”

Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia, também denunciou de maneira contundente o golpe fracassado. “Condenamos a tentativa de golpe de Estado na Venezuela como um país que lutou com os golpes e experimentou as consequências negativas dos golpes. O mundo inteiro tem que respeitar as decisões democráticas do povo na Venezuela.” Erdogan sofreu uma tentativa de golpe militar em 2016, mas com o apoio da população e de militares nacionalistas, conseguiu abortar a conspiração e prendeu a direita pró-imperialista, como deveria fazer Nicolás Maduro.

Já o ministro de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, declarou que “nos preocupam as informações da Venezuela sobre as tentativas de violar a ordem constitucional. Estamos contra as tentativas de substituir os governos legítimos por meios antidemocráticos”. Ele também falou que o governo turco sempre está “ao lado do povo da Venezuela”.

Por sua vez, o porta-voz da chancelaria do Irã, Abbas Musawi, também denunciou a tentativa de golpe da direita.

Em comunicado, o Ministério de Relações Exteriores da Rússia denunciou a manipulação da imprensa imperialista.

“Também consideramos extremamente importante a cobertura objetiva dos acontecimentos; os meios de comunicação não devem multiplicar as falsificações, se converter em uma ferramenta obediente de forças políticas comprometidas para aumentar as tensões na Venezuela”, expressou a chancelaria russa.