Rio de Janeiro
Ataque aos servidores logo no inicio do ano mostra que a esquerda fez um papelão ao declarar voto num candidato que em sua essência era igual ao outro
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
RIO DE JANEIRO, 18/02/2018 - EX PREFEITO DO RIO EDUARDO PAES/DESFILE DAS CAMPEÃS/PORTELA/CARNAVAL-RIO: O ex prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, no desfile da Portela, no desfile das campeãs do carnaval Rio 2018, na Marquês de Sapucaí, sambódromo do Rio de Janeiro.(Marcelo Fonseca/Folhapress)
O fascista engomadinho Eduardo Paes | Foto: Reprodução

O prefeito direitista do DEM, Eduardo Paes, amplamente apoiado pela esquerda frente amplista, está prestes a dar uma banana para o povo em seu primeiro mês de mandato: logo no cartão de visitas do novo prefeito à populaçao fluminense, ele está anunciando um calote nos servidores. Uma verdadeira palhaçada que mostra a quem está a serviço seu governo. Naquilo que é essencial, sempre foi igual a outra candidatura de Crivella, dos Republicanos.

DEM, o partido da ditadura militar e base de apoio de Jair Bolsonaro

Segundo o homem de Rodrigo Maia, um dos grandes apoiadores de Jair Bolsonaro, que engoliu mais de dezenas de pedidos de impeachment, a prefeitura do Rio de Janeiro não saberá se vai conseguir depositar o salário de janeiro até o quinto dia útil (8). Em entrevista no sábado, o eleito pelo partido da ditadura militar, disse que não há dinheiro em caixa:

“Que não tem, eu tenho certeza. É muito fácil distribuir contracheque, né, sair distribuindo contracheque, no dia 18, e não deixar o dinheiro em conta. A nossa realidade é que o governo Crivella deixou duas folhas de pagamento, o 13º e a folha de dezembro descobertos. Nós vamos fazer todo o esforço do mundo, o secretário Pedro Paulo deve dar mais detalhes até a segunda-feira. Agora estamos tendo acesso às contas da prefeitura para ver como vai ser esse pagamento. É prioridade absoluta. O fato é que não deixaram qualquer recurso em caixa”, disse Paes, no Centro de Operações, onde acompanhou a situação da chuva no Rio, de maneira demagógica.

A política de arrancar o coro do povo

Recém-nomeado secretário de Fazenda e Planejamento, Pedro Paulo (DEM) disse na sexta-feira (1º) não ter certeza de que vai honrar o pagamento nesse prazo. “Amanhã mesmo [sábado, 2] vou começar a verificar os saldos das contas da prefeitura para saber se nós teremos condições de pagar o salário dos servidores no 5º dia útil”, afirmou. As declarações são o suficiente para expressar a política da direita nacional nesta etapa será de arrancar o coro da população.

A frente ampla

Paes nunca teve nada de esquerdista, muito pelo contrário, é um elemento no maior estilo ”fascista engomadinho”, do mesmo naipe de João Dória (PSDB), acabou por fazer toda esquerda carioca de besta, se colocando como o anti-Bolsonaro.

O ataque aos servidores logo no inicio do ano mostra o papelão que a esquerda fez nas eleições do Rio de Janeiro, uma operação criminosa, na verdade. Mostra o quanto estas direções da esquerda pequeno-burguesa estão completamente alinhados com a direita golpista e até com o bolsonarismo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas