Padronização de calçadas: máfia da multa aumentará ainda mais o roubo aos trabalhadores

Incêndio em edifício no largo do Paissandu, centro da capital paulista

Da redação – Como não há nada mais importante para se fazer na gigantesca capital de São Paulo, a prefeitura tucana, que adora superfaturar obras, multar os trabalhadores, vai tentar novamente padronizar as calçadas da cidade. Nesse sentido, está aberta até sábado a consulta pública que deve resultar em um decreto para aumentar ainda mais as máfias das multas contra os trabalhadores.

Tendo como foco a demagogia de “priorização” do pedestre, a pesquisa irá modificar a legislação já existente com as alterações que valerão para as novas calçadas e para aquelas que passarem por reforma. O texto da consulta pública retoma as diretrizes da Lei das Calçadas, sancionada em 2011 pelo ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). A mesma prevê que na área mínima de 1,20 metro nos passeios do Município — anteriormente, o espaço era de 90 centímetros. Uma novidade é que essa área mínima passa a ser de 50% para o passeio em caso de calçadas com mais de 2,4 metros de largura.

Sobre o financiamento para tal mudança, a imprensa burguesa coloca que há uma dúvida de quem vai pagar, porém, este diário sabe muito bem quem sempre paga a conta: o trabalhador.