Menu da Rede

Antônio Carlos Silva

Antônio Carlos Silva

Sobre o Toninho

Militante do Partido da Causa Operária (PCO) desde as suas origens. Membro do Comitê Central do Partido, secretário Sindical e coordenador da Corrente Nacional Sindical Causa Operária.

Professor do Ensino Público do Estado de São Paulo, atua na oposição da Apeoesp.

Foi candidato a diversos cargos pelo PCO em eleições regionais e nacionais, levando a propaganda revolucionária às grandes massas.

Participa do conselho editorial do Jornal Causa Operária, do qual é colunista.

Apresenta os programas Resumo do Dia e Resumo da Semana, na Causa Operária TV. Também é âncora do programa Comando de Greve.

"Fica Bolsonaro"!

Pacto com Bolsonaro: Dino e a frente ampla sem limites à direita

Uma proposta a ser negociada com o próprio Bolsonaro, que serve apenas para desarmar totalmente a classe trabalhadora deixando-a à reboque da política da direita

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Na última semana, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), tentou – sem sucesso, por hora – estabelecer um pacto com o próprio presidente ilegítimo Jair Bolsonaro, a pretexto de combater a crise e o desemprego.

A proposta foi enviada em ofício ao capitão fascista, na qual o “comunista” amigavelmente propôs 

Considerando este cenário desafiador, gostaria de sugerir uma reunião liderada por V. Exa. com os governadores e os presidentes das confederações empresariais e centrais sindicais para que possamos construir um “Pacto Nacional Pelo Emprego”, com medidas emergenciais de geração de emprego e renda“.

 

Bolsonaro a rejeitou e ridicularizou apresentando uma “banana” para o “comunista” maranhense.Brasil | Brasil 247

No pacto proposto por Dino, estavam incluídos, além do presidente, os governadores genocidas, como João Dória, Wilson Witzel, Zema, Ibaneis, Ratinho Jr. etc., responsáveis por implementar a política defendida pelo governo golpista de “socorrer” os capitalistas e deixar a população morrer, os presidentes das maiores entidades patronais do Brasil, como a Febraban (bancos), a CNI (Indústria), a CNA (Agricultura), patrocinadores e apoiadores do golpe de Estado e de todas as medidas adotadas pelos governos Temer e Bolsonaro contra o povo e, para dar uma aparência democrática à esta frente diabólica, representantes das centrais sindicais.

Assim, no melhor dos casos, teríamos três ou quatro representantes dos trabalhadores (é bom lembrar que a quase totalidade das “centrais” são organizações ligadas aos patrões e dirigidas por elementos de confiança deles) endossando um “pacto” presidido pelo próprio Bolsonaro.

É claro que desse encontro dos piores inimigos do povo não se poderia esperar, seriamente, que se adotassem quaisquer medidas emergenciais para geração de emprego e renda, como sugere o governador, uma vez que são eles justamente os responsáveis pelas medidas de destruição do emprego e da renda dos trabalhadores e pela própria matança em curso.

A proposta demagógica, além de servir ao propósito de Dino e do PCdoB de fazer campanha eleitoral e se mostrar confiável para a burguesia golpista e, quem sabe assim, ser merecedor de alguma migalha de apoio eleitoral, diante do “precipício” que os as direções da esquerda preveem paras as próximas eleições, busca também apontar para o caminho da conciliação e capitulação diante do próprio governo fascista e genocida como a única solução para fazer frente à situação de catástrofe que se abate sobre o povo.

A proposta de “união nacional” do PCdoB, ao lado do PSOL e da direita do PT, os mais fervorosos defensores na esquerda da frente ampla com a direita golpista para “se opor a Bolsonaro”, esclarece – de forma definitiva – que a oposição desses setores à realização de atos pelo fora Bolsonaro nada tem a ver com as restrições impostas pela pandemia, com buscam fazer crer. Assim como seus aliados na frente ampla, como FHC e Rodrigo Maia, são defensores do “fica Bolsonaro” e mais ainda “comanda o pacto Bolsonaro”, são – de fato – neste momento, inimigos de qualquer mobilização real dos trabalhadores e da juventude contra o governo que eles querem sustentar e revigorar com iniciativas comuns.

É uma proposta para desarmar totalmente a classe trabalhadora deixando-a à reboque da política da direita, a ser negociada com o próprio Bolsonaro.

Fica evidente que a capitulação à burguesia genocida e seus governos por parte desses setores da esquerda não tem limites à direita.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.