Ouça na Rádio Causa Operária: “a orientação fascista do general Villas Bôas”

15403327645bcf9cdcbcde3_1540332764_3x2_rt

O programa Análise Política da Semana, com o presidente nacional do Partido da Causa Operária (PCO), Rui Costa Pimenta, é exibido todos os sábados, a partir das 11:30, no Causa Operária TV e na Rádio Causa Operária. É um momento de discussão e perguntas relacionados aos acontecimentos importantes que permeiam recentemente o cenário político nacional e internacional. Além disso, esse é um grande meio de orientação para a Esquerda em geral, para as organizações sociais e populares, que obtêm clareza e direcionamento para a luta contra o avanço do Golpe de Estado no Brasil.

Em um programa recente (sábado, dia 1º de dezembro), o companheiro Rui fez um comentário sobre uma das citações mais recentes do comandante do Exército, o general Villas Bôas. No dia 25 de novembro, às vésperas do aniversário da chamada “Intentona Comunista”, o comandante disse o seguinte em sua conta no Twitter:

Determinei ao que rememorem a Intentona Comunista ocorrida há 83 anos (27 Nov 1935). Antecedentes, fatos e consequências serão apreciados para que não tenhamos nunca mais, irmãos contra irmãos vertendo sangue verde e amarelo em nome de uma ideologia diversionista”

“A ‘Intentona’ foi uma tentativa fracassada de levante organizada pela Aliança Libertadora Nacional, liderada por Luís Carlos Prestes. Os militares e a extrema-direita da época, muito próxima do integralismo, uma vertente nacional do fascismo, reagiu por meio de calúnias, tratando o levante como uma “traição” à pátria, acusando os organizadores de cometerem crimes e barbaridades em prol de uma ideologia, etc. Tudo com o objetivo de dar início a uma série de ataques à Esquerda e às organizações do povo.

“Da mesma forma, a declaração de Villas Bôas faz consonância com o discurso dos bolsonaristas de que o objetivo deles é acabar com toda a Esquerda ou, como já foi dito recentemente, acabar com “os vermelhos”. Na verdade, essa é a característica essencial do fascismo: liquidar as organizações populares e os partidos de Esquerda, bem como atacar os sindicatos. Isso refuta totalmente a tese de que esse general é “democrático” e “nacionalista”. Muito pelo contrário: ele dá apoio integral à política entreguista de Bolsonaro e das Forças Armadas, de ataque aos direitos do povo e dos trabalhadores.

Ouça na íntegra o comentário do companheiro Rui sobre a declaração do general Villas Bôas no link abaixo: