Provocação imperialista
Esse tipo de acordo e de exercício tem como principal objetivo atingir a Rússia, país que está cercado por bases militares e tropas da OTAN, principalmente no Leste Europeu
HURST POINT “RORO” London, UK ship arrival at Alexandroupolis Sea- Port-Greece. Greek Armed forces contributed along with the local police and sea-port authorities ensuring the safety and smooth disembarkation of the UK military vehicles and trucks, on May 30, 2017.     Photo : Warrant Officer Theodorou Georgios, UK vehicles, sea - port Arrival, Greek Combat Camera,  NRDC GR, Public Affairs Office  Photo : Sargent Major Fountoukidis Georgios, UK vehicles, sea - port Arrival, Greek Combat Camera,  Local Public Affairs Office
OTAN realizará manobras marítimas para ameaçar a Rússia. Foto: Theodorou Georgios/OTAN Flickr |

Da redação – A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) vai realizar um exercício militar entre os dias 5 e 9 de outubro na cidade de Odessa, na Ucrânia.

O comunicado foi divulgado hoje (15) pelo escritório de imprensa do gabinete ucraniano.

“Precisamos de mais exercícios e ações conjuntas com a OTAN. Hoje estamos dando um passo a mais nessa direção. Os exercícios também são importantes para o desenvolvimento do nosso sistema nacional de sustentabilidade na luta contra as ameaças híbridas”, declarou o ministro para a integração europeia e euroatlântica da Ucrânia, Dmitri Kuleba.

O documento foi assinado por ele, cuja pasta tem o objetivo de entregar a soberania ucraniana para o imperialismo europeu e norte-americano, e a vice-secretária-geral da OTAN para assuntos políticos e política de segurança, Bettina Kadenbach.

A manobra militar deverá contar com mais de 200 especialistas e ajudarão a OTAN a conhecer melhor a situação no Mar Negro, como admitiu o secretário-geral do órgão imperialista, Jens Stoltenberg. Em abril do ano passado, a instituição dominada pelos EUA concluiu um “acordo” com Ucrânia e Geórgia que inclui exercícios militares, intercâmbio de informação e estadias em portos do Mar Negro.

Esse tipo de acordo e de exercício tem como principal objetivo atingir a Rússia, país que está cercado por bases militares e tropas da OTAN, principalmente no Leste Europeu. Fecha-se cada vez mais o cerco, nos últimos anos, da organização militar contra o gigante eurasiático, como uma das principais armas do imperialismo para dobrar o governo nacionalista de Vladimir Putin e capturar a Rússia para o domínio dos grandes monopólios capitalistas internacionais.

Relacionadas