Menu da Rede

Biden impõe mais sanções a Cuba e recrudesce o bloqueio criminoso

Dia 19

Os Sindicatos de bancários devem convocar a mobilização nas ruas

As organizações de luta dos trabalhadores bancários devem mobilizar a categoria contra os ataques dos banqueiros e seus governos

Ato do dia 29/5, em Brasília – Foto: Reprodução

Publicidade

Os grandes atos que aconteceram no dia 29 de maio no país, com a participação de mais de 200 mil pessoas em mais de 210 localidades no país inteiro, demonstraram a grande revolta popular e a tendência de mobilização contra Bolsonaro todos os golpistas responsáveis pela morte de mais de 500 mil pessoas, pela escalada da fome, desemprego, rebaixamento salarial e a degradação sem igual nas condições de vida da maioria da população.

As manifestações contaram com a participação dos trabalhadores de diversas categorias, inclusive bancários, mas de forma espontânea, sem que houvesse uma efetiva mobilização das organizações de luta da classe trabalhadora, embalados pelas importantes iniciativas que não se curvaram à política de paralisia e conciliação coma a direita e chamaram a mobilizar nas ruas, que se iniciaram, principalmente, na manifestação do dia 1º de Maio de Luta, na Praça da Sé, em São Paulo, com milhares de pessoas.

A categoria bancária tem todas as razões para estarem presentes, massivamente, nas ruas, contra a ofensiva reacionária dos banqueiros e seus governos aos trabalhadores. Os bancários estão sofrendo o pão que o diabo amassou nas mãos dos banqueiros e, os patrões, estão se utilizando da justificativa da pandemia do coronavírus para realizar a política de terra arrasada para os trabalhadores, através da total falta de uma política de prevenção sanitárias nas agências bancária que, tem como consequência o desligamento por morte um aumento de 71,6% no 1º trimestre de 2021 em comparação ao 1º trimestre de 2020, que saltou de 55 mortes para 152, respectivamente. Não só os bancários, mas os clientes estão se contaminando em massa nas dependências bancárias, com aglomerações dentro e fora das agências.

Além disso, a categoria sofre com o aumento de demissões em massa, arrocho salarial, terceirizações, privatizações, ataque aos fundos de pensões e os planos de saúde dos trabalhadores dos bancos públicos, ou seja, um gigantesco aprofundamento dos ataques às já precárias condições de vida dos trabalhadores bancários, com o objetivo, única e exclusivamente, de manter os seus já fabulosos lucros.

A participação dos bancários, de forma espontânea, no ato do dia 29 de maio, está em completa oposição à política das maiorias das entidades sindicais, que fecharam as suas portas, num momento que os trabalhadores mais necessitam, para se contrapor à ofensiva reacionários dos patrões e seus governos.

As organizações de luta dos trabalhadores são os instrumentos da classe trabalhadora na luta de classes. Em crises como essa, onde fica evidente o dolo da burguesia, aos trabalhadores só resta uma saída coletiva através de suas ferramentas de luta que são as mobilizações de ruas. Os partidos e os sindicatos deveriam, assim como os médicos, estar no front de batalha, realizando amplas campanhas de mobilização, para organizar uma luta efetiva contra a burguesia. As mobilizações que aconteceram nacionalmente no dia 29 não deixou dúvidas que os trabalhadores querem lutar e de que é mais do que urgente furar o dique de contenção das direções sindicais.

Nesse sentido o ato do dia 29 de maio foi mais um exemplo de que é necessário e possível, mesmo em tempo de pandemia mobilizar os trabalhadores. Os trabalhadores querem lutar, querem ir às ruas, cabem às suas direções deixarem de vacilações e lutar, imediatamente, pela quebra da patente das vacinas; vacinação já; por um auxílio emergencial de, pelo menos, um salário mínimo; redução da jornada de trabalho para 35 horas semanais, sem redução salarial, contra o desemprego; contra as privatizações; dentre outras palavras de ordem imediatas da classe trabalhadora.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.