Ultrapassar a direção
Depois da Embraer demitir 2.500 trabalhadores, chama trabalhadores a entrar com processo, e desocupa MWL
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Metalúrgicos Renault
Votação de assembleia de metalúrgicos | Foto: Reprodução

Na manhã de ontem (08), os trabalhadores da MWL Brasil Rodas & Eixos, localizada no município de Caçapava, ocuparam as instalações da fábrica que está para ser despejada e pode acabar demitindo-os.

A MWL, fabricante de rodas, eixos e outros forjados para os setores de transporte ferroviário e metroviário, etc., com uma dívida de aluguel de 11 milhões. Segundo o sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, ligados à CSP-Conlutas, do PSTU, existe uma ação de despejo, cujo prazo de vencimento é no próximo sábado (10).

A empresa pode deixar 237 trabalhadores, que estão em greve sem receber um único centavo está em greve desde o final de setembro e a situação insustentável diante da situação dos trabalhadores, os trabalhadores tomaram uma decisão muito acertada.

Diante da situação dada, da ocupação dos trabalhadores, rapidamente surgiu-se uma negociação, pois a direção do sindicato do PSTU, até então, se preocupou e ao governo, atual prefeito da cidade, Fernando Diniz, do golpista PV, bem como, ter com os nove vereadores, sendo três do PSDB, três do PSD, um do DEM, um do PTN e um do PSC, ou seja, todos os golpistas da Câmara de Vereadores da Cidade.

O PSTU, no entanto, na negociação deu de barato uma atitude acertada dos trabalhadores, e preferiu trocar uma promessa dos patrões de pagamento de uma dívida, mesmo sabendo que a empresa não se encontra em crise financeira, e se tivesse, ou ela resolva, alias, que seja reestatizada, a MWL era a antiga estatal Mafersa, uma vez que vive como carrapato no pescoço do governo.

Uma política de capitulação por excelência

Logo após a reunião em que o sindicato realizou com a empresa, (enfatizar que foi privatizada na década de 90), mesmo sem nenhuma solução para os metalúrgicos diante da situação da demissão, os trabalhadores tiveram que desocupar a fábrica.

Nesse ano, só para mencionar uma empresa, a Embraer utilizou-se da medida provisória 936/2020 onde foi rebaixado o salário e posteriormente, como não havia nenhuma garantia de emprego, a Empresa veio a demitir 2.500 trabalhadores e, o sindicato do PSTU, além de dizer que tinha sido aprovada uma greve, que na realidade não ocorreu, ao invés de, de fato organizar os trabalhadores para até fazer o que os trabalhadores da MWL fez, foi atrás do governo golpista do fascista Bolsonaro e, agora está pedindo para os trabalhadores entrar com ações individuais contra a Embraer, ou seja, deixou os trabalhadores à própria sorte mais uma vez.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas