Fascistas e liberais
os liberais e ” democratas” foram fundamentais para a ascensão dos fascistas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Laval Mussolini 7 1 1935
Laval Mussolini | Arquivo

O governo Bolsonaro apresenta uma política de ataques contra os trabalhadores, fazendo uma constante campanha pela implementação de regime autoritário, com uma exaltação da ditadura militar implementada no Brasil, após o golpe de 1964. O governo tem características proto fascistas, ao mesmo tempo sua agenda social e econômica é neoliberal levada ao extremo, com o ministro da economia Paulo Guedes implementando uma política de liquidação total do que restou do patrimônio público. Essa conjunção entre fascismo e liberalismo é, portanto, marcante no governo Bolsonaro.

Neste momento, quando setores que deram o golpe procuram resgatar o centro político ou a direita “civilizada”, a relação entre fascismo e liberalismo é vista como inapropriada ou até mesmo impossível de ser feita. Apesar dos partidos tradicionais como MDB, PSDB e DEM serem o principal sustentáculo político para a manutenção de Bolsonaro na presidência, pelo menos na aparência a tônica é não ter uma vinculação direta com o que o governo faz, aparentando distância entre os “ democratas”, ainda que de direita, e a extrema direita bolsonarista.

Dessa forma, a imprensa e acadêmicos fazem intensa propaganda que o principal inimigo dos fascistas são os liberais, e que historicamente os governos fascistas eram interventores na economia e anti liberais por excelência.

Na realidade, o que pese o fato que a solução fascista não a mesma coisa do que o liberalismo “ democrático” , existe uma relação histórica que não pode ser apagada, sob a pena não se ter uma clara compreensão tanto do papel da dominação capitalista sob a forma de uma ditadura fascista quanto a forma democrática constitucional.

O fascismo é a expressão da crise de dominação capitalista, é um remédio amargo, digamos contrarevolucionário que os capitalistas e as classes dominantes adotam para preservar sua dominação política. A grande questão é que os partidos tradicionais do regime político “ democrático” encontra-se em frangalhos, e para fazer frente a essa situação uma forma política especial é adotada.

Uma questão relevante que explica a subida dos partidos fascistas na década de 1920 na Itália e em 1933 na Alemanha é o fato que os partidos “democráticos” abriram as portas do ascenso governamental para os partidos fascistas. Portanto, a ligação entre os fascistas e os liberais não era simplesmente pelo fato de serem contra as organizações dos trabalhadores, mas a ascensão fascista foi facilitada pela direita tradicional para combater o movimento operário e os partidos de esquerda, mesmo os partidos da esquerda moderada ou conciliadora.

Do ponto de vista governamental, os governos fascistas adotaram uma política militarista e de intervenção estatal, mas atuaram para preservar a dominação econômica das grandes empresas capitalistas, que se associaram ao estado governado pelos fascistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas