Os frutos da “luta contra a corrupção”: promotores e juízes da Lava Jato abocanham R$ 2,5 bilhões da Petrobras

SergioMoro-Jungmann-500

Denúncia publicada na imprensa burguesa revelou que um acordo de reparação entre a Operação e a Petrobrás irá transferir para os cofres do judiciário golpista nada mais nada menos do que R$2,5 bilhões.

Desde que teve início em 2013, a Lava Jato utilizou o pretexto de se combater a corrupção para instituir uma verdadeira política de destruição da indústria nacional. Isso ficou muito claro no caso da Petrobrás. Logo após a descoberta do pré-sal, a empresa nacional foi demolida pelas denúncias da Lava jato. Baseada somente em delações, sem qualquer prova, a Lava jato colocou abaixo a Petrobrás, colocando milhares de trabalhadores na rua, fechando refinarias, colocando à venda o maquinário da empresa.

Tudo isso para favorecer os monopólios estrangeiros do petróleo, como a Shell e a Chevron. Agora, o judiciário golpista ganha sua parte do bolo. A quantia bilionária será destinada para uma fundação de direito privado, que está sob controle de Sérgio Moro.

Ou seja, o “herói da luta contra a corrupção” irá abocanhar uma grande fatia do dinheiro público com o objetivo de dar sequência e aprofundar ainda mais a sua política de perseguição ditatorial contra o povo, as organizações de esquerda e suas lideranças.

É preciso intensificar a mobilização contra os golpistas. Aproveitar o enorme repúdio popular a Bolsonaro e sua corja demonstrado no carnaval e ampliar ainda mais a luta contra o golpe. Levantar as palavras de ordem de Fim da Operação Lava Jato, Fora Bolsonaro e Liberdade para Lula.