Os brasileiros da Europa perderam para o futebol “VARte”

france-var-call-pk-croatia-world-cup-final

Nossas saudações à Luka Modric, a Rakitic, ao goleiro Subasic e a todos os bravos croatas que enfrentaram o time imperialista da França, a taça era para ser de vocês, mas o melhor futebol não prevaleceu no placar.

A Croácia, o time oprimido a enfrentar os opressores, contou com o apoio da torcida do Estádio Luzhniki, antigo Estádio Central Lênin, contou com a torcida do Brasil, mas não contou com o apoio da imprensa e, o mais definitivo, do apito.

Primeiro ao futebol. A Croácia chutou 14 vezes, contra 7 da França, a posse de bola crota foi de 66%, deixando apenas um terço para os franceses. trocaram o dobro de passes, com 83% de precisão, contra apenas 68% dos franceses. Nessas condições, é difícil entender como o jogo terminou 4 a 2. A seleção da antiga Iugoslávia brilhou com dribles, raça e um ânimo ofensivo que chegou a perturbar os hoje campeões do mundo. Como perderam então?

Perderam para o Juiz. No 1º tempo a esquadra de Zagreb dominava o jogo com 7 chutes a gol contra 1, ao serem surpreendidos com um gol surgido de uma falta simulada por Griezmann, e isso dizem comentaristas e grandes jogadores, Rivaldo, campeão do mundo disse, até comentaristas da Globo, que fugiram momentaneamente do script da TV golpista, apontaram o fato.

O gol ilegal não abalou o time croata, eles continuaram lutando e nivelaram o placar numa jogada ensaiada. Mas a taça estava endereçada à seleção de Macron.

Rapidamente num lance nada duvidoso na área croata, os franceses pedem pênalti, o juiz inicialmente, mas o VAR, o verdadeiro camisa 10 da França, entra em cena para marcar a penalidade máxima.

Dizem que foi um toque de mão, mas o regulamento é claro, “Devem ser considerados os seguintes critérios: o movimento da mão  em direção a bola (e não a bola em direção à mão); a distância entre o jogador e a bola (bola inesperada)”, diz o manual da FIFA.

Os jogadores, os verdadeiros especialistas do futebol, ficaram escandalizados e foram às redes sociais expressar seu descontentamento.

O campeão do mundo de 2002, Rivaldo, diz ” Quando eu falei que todos jogadores faziam o mesmo que Neymar não estava errado, neste momento França está ganhando com um gol que não deveria ter acontecido por não ter sido falta e o árbitro errou feio também o tal de VAR não entrou em campo a favor da Croácia e agora entrou a favor da França”

O ídolo da torcida espanhola, o ex-goleiro do Real Madrid e campeão mundial de 2010 Ikser Cassilas, declarou: “Sinceramente, não entendo bem o uso do VAR. O árbitro dá uma falta que não é (falta) em Griezmann. Gol da França nesta ação. Não acontece nada”.

 

 

Finalmente e com um pouco de senso de humor, o dinarmaquês Yussuf Y. Paulsen diz que “Acho que todos os jogadores vão ter que cortar os braços fora na próxima temporada”.

Setores da imprensa internacional também não se contiveram e denunciaram a fraude.

A história após é simples, roubado por duas vezes, com um time obrigado a jogar sempre na ofensiva, ficou aberta à possibilidade de contra-ataque, resultando em 4 gols, dois por VAR e dois por contra-ataque, o juiz merecia a menção de melhor francês em campo.

O time croata jogou com raça e habilidade, mas claramente o imperialismo, em busca de fortalecer o governo de Emmanuel Macron tomou a taça da Croácia. Marine Le Pen comemora hoje a fraude orquestrada por seu País. A Croácia sai derrotada, junto com o mundo todo.

O imperialismo conseguiu o que queria mas a duras penas. O mundo foi testemunha da fraude. O futebol mais brasileiro da Europa, mais driblador, ofensivo e oprimido dos Europeus desta copa, perdeu para o apito.

Mas não termina aqui, da mesma forma que drible surgiu da necessidade dos negros de escapar de faltas que nunca seriam marcadas pelos ábitros brancos, as seleções oprimidas estão aprendendo, logo apenas o apito não bastará.