Os atos contra a ditadura militar mostraram que o povo quer o Fora Bolsonaro

ato_12

Neste domingo, 31 de março, em várias capitais e cidades do país foram realizados os atos contra a “celebração” do golpe militar proposta pelo presidente ilegítimo, Jair Bolsonaro. Na última semana, o golpista Bolsonaro determinou que as Forças Armadas celebrassem o golpe de 1964, o qual impôs um verdadeiro regime de terror contra todo o povo brasileiro, que perdurou durante 21 anos. O Partido da Causa Operária, juntamente com os Comitês de Luta contra o Golpe e outras organizações de esquerda, convocou uma série de atos nacionais contra esta determinação do presidente golpista e contra a ameaça de um novo golpe militar contra o povo.

As mobilizações refletiram a tendência de mobilização que há no país contra o governo golpista de Bolsonaro. Os atos deram sequência ao imenso repúdio popular visto contra Bolsonaro no carnaval. Vale lembrar que o presidente ilegítimo da extrema-direita está no poder em consequência da fraude, da prisão política e do afastamento do principal candidato popular, o ex-presidente Lula. No carnaval, o repúdio a Bolsonaro foi seguido pela defesa da liberdade de Lula.

Nas principais capitais do país ecoaram a marchinha mais famosa do carnaval desse ano: “Ei Bolsonaro, vai tomar no  o c*”. Em São Paulo cerca de mil pessoas, entre ativistas, militantes e populares se reuniram em um ato que, apesar de pequeno, foi muito combativo, expressando claramente a completa rejeição a Bolsonaro e todos os golpistas, bem como a defesa da liberdade do ex-presidente Lula.

O caráter combativo do ato ficou expresso também na ação correta dos militantes e ativistas de esquerda que botaram pra correr um grupinho de fascistas que tentavam saudar a ditadura militar.

O próximo passo da mobilização será no dia 7 de abril, quando se completa um ano da prisão política de Lula. É preciso organizar caravanas de todo o país e ocupar as ruas de Curitiba, de São Paulo e de todas as cidades. Exigir a imediata liberdade do ex-presidente e a derrubada do atual governo golpista. Como o carnaval e as mobilizações do dia 31 demonstraram, é preciso levantar bem alto as palavras de ordem centrais do atual momento político do país: Fora Bolsonaro e Liberdade para Lula