Menos de uma cesta básica
O Ministério da Economia insulta toda a população oferecendo uma verdadeira esmola aos trabalhadores. E ainda quer provas da sua informalidade para receber a esmola.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
(Brasília - DF, 18/03/2020) Coletiva à Imprensa do Presidente da República, Jair Bolsonaro e Ministros de Estado.

Foto: Marcos Corrêa/PR
Para a comitiva: luvas, máscaras, álcool... Para a população a promessa de uma esmola. |

Da redação – Na semana passada o Ministério da Economia de Jair Bolsonaro, encabeçado pelo sociopata neoliberal Paulo Guedes, informou que estaria adotando a medida de dar 200R$ aos trabalhadores informais que ficarão impossibilitados de fazerem seus bicos em decorrência da crise do coronavírus. Isto é, em vez de deixar o trabalhador morrendo de fome e vírus de uma vez, colocar toda população na desnutrição do pão e água e a morte iminente do vírus ou outras doenças decorrentes do colapso do sistema de saúde soa mais “viável” para o governo ilegítimo.

É uma medida completamente absurda, uma verdadeira esmola que não compra nem uma cesta básica mínima, muito menos ainda faz com que a população coma até o fim do mês. Está a milhas de distância de resolver o problema de qualquer brasileiro que seja, quem dirá de toda uma população esfomeada e doente. Sem contar que será uma burocracia gigantesca para conseguir o “benefício”, além de que o cidadão terá que provar que foi prejudicado pela crise do coronavírus. A pergunta é: como provar a informalidade? Se o critério for esse, é provável que nem a esmola vai ter.

A medida totalmente incompetente e esdrúxula, lembra aquela adotada pelo ídolo do governo, o fascista e presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump. Que nessa semana adotou a política de que irá dar 1.000 dólares a população que estiver precisando, um total de 4.000 reais. Que também não resolve o problema, já que nos EUA não existe sistema gratuito e universal de saúde, só o teste mais as medicações para combater o coronavírus, oferecidos pelos monopólios, em um núcleo familiar, daria muito mais que isso. Sem contar as outras necessidades básicas da população. O que se tem aqui é uma tentativa de postergar um rebelião popular sem precedentes nos EUA.  Seguindo seu ídolo, o “vice-rei” Jair Bolsonaro teve a capacidade de imitar uma medida já insuficiente de maneira a piorará-la, a torná-la um insulto a toda população.

Isso prova que o governo fraudulento não vai fazer nada, de fato. Além de deixar a população morrendo a míngua enquanto ele enche as contas dos bancos e grandes capitalistas de dinheiro, como o fez semana passada, em depositar o dinheiro do fundo da saúde na conta dos hospitais privados, para salvar esses sanguessugas da miséria do povo.

É necessário colocar um amplo movimento em estado de mobilização permanente para empurrar esse governo para fora! Estabelecer conselhos populares para a saúde, ampliar o Sistema única de saúde exponencialmente, distribuir medicamentos, luvas, máscaras e álcool. E garantir as condições de existência digna de toda população durante e após a crise do coronavírus (água, luz, alimentação, moradia etc) fazendo Bolsonaro engolir essa esmola.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas