Para derrotar a direita
É hora de mobilizar em torno dessa palavra de ordem com uma campanha específica e clara, dando vazão à demanda das massas
??????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????—????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????#?????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????Ž?????????????????????????????????????????????????????ó???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????¡????????????
Foto: Diário Causa Operária |

O Brasil tem mais de 50 milhões de pessoas sem emprego ou subempregadas. O governo frauda os dados do PIB e a inflação dos itens mais básicos já não pode ser escondida. Os jornais capitalistas vendem otimismo nas bancas, mas sua ladainha soa como desespero de causa. A crise econômica é brutal e a crise política não termina desde a campanha da direita golpista que levou ao golpe de 2016. Diante desse quadro, no último fim de semana, dias 14 e 15, os comitês de luta contra o golpe realizaram sua 2ª Conferência Aberta de Luta, para apresentar um programa de saída para a crise nacional, uma saída à esquerda.

Com isso em mente, militantes e ativistas que vieram a São Paulo de todas as partes do país elaboraram um programa com propostas para resolver as grandes questões nacionais. Por exemplo, redução de jornada de trabalho para 35 horas sem redução de salário para combater o desemprego. Dissolução da PM para cessar o genocídio da população pobre nas periferias. Formação de comitês de autodefesa para barrar os ataques da extrema-direita. E assim por diante.

No centro desse programa, para tornar possível a implantação dessas medidas, está a questão do poder. Por isso a palavra de ordem central dessa luta contra a direita é a seguinte: Fora Bolsonaro! É preciso derrubar o governo da direita golpista para começar a reverter as medidas neoliberais dos golpistas, recuperando direitos trabalhistas, salários e o patrimônio nacional. Nada disso pode ser feito, a não ser pontualmente, sem que se derrube o governo antes.

Por isso, esse deve ser o eixo de mobilizações para aglutinar diferentes movimentos, com suas demandas parciais, em torno de uma unidade política, formando um bloco para lutar contra a direita. De modo que, no próximo período, os comitês de luta contra o golpe devem fazer uma campanha em torno desse problema específico. O Fora Bolsonaro é a palavra de ordem mais popular do país, mas tem aparecido nos protestos de forma incidental. É hora de mobilizar especificamente em torno desse problema.

A 2ª Conferência já foi o primeiro passo nesse sentido. Daqui para frente, os esforços devem ser concentrados para erguer uma grande campanha nacional pelo imediato fim do governo Bolsonaro. O momento é favorável, e se a esquerda deixar a oportunidade passar a extrema-direita, que está se desenvolvendo, tomará conta do panorama político. É tempo de agir, e os comitês apresentaram uma diretriz clara e viável. Todos às ruas pelo Fora Bolsonaro!

Relacionadas