II Conferência aprova
Fruto da necessidade de organizar comitês nos bairros, nas fábricas, nos locais de moradia e estudo, para proteger a população da Polícia, dos fascistas e das milícias ligadas ao g
I Conferência
Grupos de discussão da I Conferência Aberta dos Comitês de Luta em 2018: arqvuivo DCO |

Neste domingo (15), em sua II Conferência Aberta dos Comitês, integrantes de comitês de todo o País deliberaram por organizar a autodefesa do movimento operário e social contra a extrema direita. Fruto da necessidade de organizar comitês nos bairros, nas fábricas, nos locais de moradia e estudo, para proteger a população da Polícia, dos fascistas e das milícias ligadas ao governo golpista. O tema foi debatido durante os dois dias da Conferência e aprovado na plenária final deste domingo.

Entre as deliberações aprovadas está a de criar uma campanha que explique o básico do que precisaria ser um comitê de autodefesa, para orientar como as mais diversas organizações do campo e da cidade devem reagir à hostilidade e ataques da extrema-direita.

Bolívia

Para reagir ao golpe militar que derrubou Evo Morales, trabalhadores da Bolívia, sobretudo de El Alto, criaram comitês de autodefesa para se opor à extrema-direita. Graças a isso, o golpe no País está em crise e mostra a dificuldade que a burguesia tem para conduzi-lo.

Índios Guajajara

Um grupo de índios Guajajara, localizados no Maranhão, formou um grupo de autodefesa armado para enfrentar os ataques de madeireiros às suas terras. O grupo tem o objetivo de interromper a invasão e o processo de desmatamento na Terra Indígena (TI) Araribóia, alvo da cobiça de madeireiros que tem destruído suas terras.

A terra Araribóia, foi definida como Terra Indígena em 1991, mas desde então nunca houve a presença do Estado para garantir os limites da área demarcada e que os direitos dos indígenas fosse respeitado.

O armamento e a única solução, a população pobre precisa se defender dos ataques fascistas de forma incisiva, buscando os meios necessários para responder a altura esse tipo de violência. A burguesia precisa sentir a fúria do povo trabalhador, pois, somente a luta revolucionaria pode acabar com a burguesia fascista e assassina.

Os golpistas estão instigando e financiando os grupos de extrema direita, no campo e na cidade. Enquanto o governo de Bolsonaro não cair, eles aproveitam para levar adiante seus planos de dizimar o povo.

A autodefesa é uma necessidade democrática como resultado do atual estágio do regime golpista. É preciso se defender, reagir à altura, para evitar que a direita avance ainda mais contra a população, contra o povo trabalhador. Essa é a única resistência possível contra a direita golpista.

Relacionadas