Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Na caravana do ex-presidente Lula pelo Sul do país, mais uma vez, a extrema-direita mostrou toda a sua forma “democrática” de exercer a luta política. O “respeito às instituições”, tanto pregado pela imprensa burguesa, se mostrou a mais completa farsa enquanto a presidenta eleita Dilma Rousseff e o maior líder popular do país, Luiz Inácio Lula da Silva, estavam percorrendo o extremo meridional do Brasil.

Não adianta também dizer que os atentados contra a caravana do ex-presidente foram causados por “grupos isolados”. Os atentados foram causados por grupos fascistas que são diretamente impulsionados pela burguesia, isto é, pelos donos do golpe. A Rede Globo, a Folha de S. Paulo, os bancos e todos os demais atores que fizeram parte do golpe seriam os principais responsáveis caso qualquer coisa de mais grave acontecesse durante a caravana do ex-presidente.

Os fascistas foram acobertados e são sustentados pelos donos do golpe porque são sempre uma “carta na manga” quando a burguesia não consegue realizar nenhuma manobra “institucional” para derrotar seus inimigos políticos. O entrave do caso Lula no Poder Judiciário – que se vê em uma situação delicada ao ter a tarefa de criar leis para prender Lula e, ao mesmo tempo, impedir que essas leis atinjam seus “amigos” – tem feito muitos setores da direita perderem a paciência.

A ação dos fascistas mostra claramente que os golpistas são capazes de qualquer coisa para impedir que o regime golpista se esfacele. Por isso, não se pode ter qualquer ilusão que o Poder Judiciário absorverá Lula por uma questão de “Justiça”, muito menos que os monopólios aceitarão pacificamente que o PT, a CUT e o MST voltem a integrar o regime político. Sejam quais forem os meios, a direita fará tudo que estiver ao seu alcance para que qualquer pessoa que se oponha minimamente ao imperialismo seja descartada do regime.

Diante de mais uma demonstração de quais são as intenções da burguesia, é necessário que a classe operária se organize para combater a extrema-direita. Afinal, se a própria polícia é um componente fundamental dos grupos fascistas, não se pode contar com a polícia, muito menos com as Forças Armadas, para garantir a segurança do ex-presidente Lula. A única forma de impedir efetivamente que a extrema-direita seja bem sucedida nas caravanas é através de comitês de auto-defesa que sejam capazes de enfrentar os fascistas e colocá-los para correr da face da terra, assim como fizeram os estudantes do Comitê de Luta Contra o golpe da UFPE.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas