Golpe no Equador
Frente de movimentos populares rejeita a decisão antidemocrática e fraudulenta contra Rafael Correa e seu partido, que visam retirá-lo das eleições em 2021.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Equadro - Trabalhadores
Trabalhadores do Equador denunciam nova etapa do golpe. | Foto por: reprodução

Nesta terça (21) um conjunto de organizações populares e movimentos progressistas da esquerda equatoriana reunidas na Frente Unidade para Vencer (FUPV) rejeitaram completamente a decisão do Conselho Nacional Eleitoral da última segunda (20) que cancelou o registro do partido de Rafael Correa, o Fuerza Compromiso Social (FCS) e o condenou a 8 anos de prisão e inelegibilidade por 25 anos (veja aqui).

O Fórum das organizações populares denunciou a pressão política feita sobre o Conselho Eleitoral pelo Governo Central, pelo Ministério Público e pela Controladoria do Estado, e a operação fraudulenta para tirar da disputa eleitoral a principal figura política e com massivo apoio popular, o ex-presidente Rafael Correa, criando acusações e que nem precisaram ser comprovadas.

As organizações também denunciam que a manobra visa retirar das eleições Rafael Correa, que tem amplo apoio popular e seu partido.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas