Operário baleado pela PM recebe alta e nega versão da corporação assassina

PM

O operador de máquinas Edmilson Conceição dos Santos, de 35 anos, foi baleado na porta de casa durante uma operação da corporação assassina, Polícia Militar, no bairro de Fazenda Coutos 3 em Salvador. Felizmente hoje a notícia não é de óbito, pois o operário recebeu alta nesta quarta-feira (27) e não entrou para a contabilidade do genocídio policial que para a corporação faz parte do dia-a-dia.

O caso arbitrário, esse sim entra para as estatísticas da PM. Ocorreu no último sábado (23), véspera do Dia de São João, quando Edmilson foi atingido na perna e na virilha em uma operação que, segundo nota oficial desse verdadeiro “esquadrão da morte”, chegou ao local através de “denúncias”, sendo recebida a tiros por criminosos.

“Dizem que foi troca de tiros, que eu não sei nem como é que manuseia uma arma. Eu não sei nem quantos nomes de armas têm. E outra, minha arma é como meu pai e minha mãe fala, é só uma bíblia”, contou Edmilson Santos.

Novidade alguma se encontra no fato de que os moradores do bairro e Edmilson negaram a versão da PM.